((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

O MAGNÍFICO JOÃO DE GAIA

O MAGNÍFICO JOÃO DE GAIA

Oi Anthonio e Thais,
O texto que segue abaixo, não é uma vivência.
É uma crônica, que embora baseada em experiência e pessoas da vida real (ou seria irreal?) é pura e mera ficção. Apenas acordei hoje e escrevi isso, assim, do jeito que está. Sei que o BLOG de vocês não é de crônicas, nem Jabor, nem Veríssimo passeiam por aqui (quem sabe?), mas como eu achei bem humorada e despretensiosa, resolvi enviar para vocês. Quem sabe vocês arranjam algum proveito para esse material, se não for o caso, tudo bem, vamos só rir juntos.

Abraços em vocês,
Beta Maia


(João de Gaia)

O Magnífico João de Gaia

Sou frequentador da Sala de bate papo do MM. Gosto de compartilhar minhas vivências e tirar pequenas dúvidas que surgem no processo. E lá tem sempre pessoas dispostas a dividir experiências. De uns tempos para cá, tenho me sentindo meio, digamos, intimidado... A sala já não é a mesma. Agora sempre entra um sujeito, João de Gaia, que quando pega o microfone deixa todo mundo em estado de estase: mudos, estáticos e sem se mexer.
Ah! aquele É o cara.

O João de Gaia é o fodão, bom de lábia, fala com firmeza e desenvoltura. Descreve suas vivências com minúcias deixando todo mundo de boca aberta. Ele sabe usar as palavras com o tom certo, tem sempre uma vibração na voz e uma certeza inabalável. A gente é capaz de passar os três dias de escuridão, só ouvindo o João Falar. Aquele ali sabe das coisas!!

Com ele, é tudo tão intenso, tudo vibra, tudo dói, um sofrimento absurdo, mas sensações físicas indescritíveis. E os outros participantes ficam ali só pensando: “Tô a mil anos-luz de distância disso tudo, pois não sinto nem 10% do que ele descreve.”

Quando chega a hora de João falar, todo mundo fica meio tímido, pois não dá para competir com tantas vivências, nem f o d e n d o o o o.

Aquele ali balança todo, da cabeça aos pés. O corpo dele vive eternamente em um terremoto. Não tem essa história de lareira não, com ele é um incêndio mesmo, e as coroas da cabeça e do peito vibram tanto, que quase dá para ouvir no microfone.

Se alguém se atreve a dizer:”Hoje meu ponto Ki-ris-ti vibrou muito”... logo vem João de Gaia descrevendo que o ponto Ki-ris-ti dele é como uma britadeira, entra pelas costas, sai no peito e irradia uma luz que dá para iluminar o maracanã.

Enquanto nós, pobres mortais, lutamos com protocolos para alcançar a consciência Turya, o Samadhi ou quem sabe uma pequena deslocalização, o João parece que toma um chá de alucinógeno, pois descreve uma oscilação tão grande, uma viagem a outras dimensões tão intensa, que a gente não consegue alcançar, nem usando toda imaginação do mundo.

O João fala que não sente mais fome, quase não come. E os outros participantes sem saber o que fazer quando o estômago ronca, ninguém entende se é a mente, o ego ou a personalidade, mas que o estômago ronca, isso é inegável. Pelo menos pra gente.

Não há ninguém sobre a face dessa terra, que saiba descrever melhor o abandono a LUZ. Pelo que a gente da sala entendeu, é mais ou menos assim: “você tem que querer, mas não pode querer, tem que sentir, mas não pode sentir, tem que ir de encontro, mas não pode sair do lugar.”

“Mas é tudo muito simples”, diz João, “você só tem que tomar cuidado, depois de vencer a mente e desconstruir a personalidade, com o ego espiritual, esse se apropria de tudo...”

A gente escuta tudo aquilo e pensa: “mais fácil, impossível!!”
João sempre diz que as outras dimensões, é como assistir um desejo, uma coisa maravilhosa pelo vidro, você pode ver, sabe que tá lá, mas não pode tocar. Acho que ele já tá num ponto, que num piscar de olhos, ele vai ascencionar. E nós, todos nós daquela sala, com certeza iremos assistir.

Até que meu coração ficou me indagando: Não tá faltando alguma coisa ao João??
Transparência???não era isso....Humildade?? Talvez...simplicidade??? com certeza.... O que falta mesmo a João de Gaia, é o pilar da infância, falta a ALEGRIA, falta a leveza, falta a “falta” de regras e condições.

Agora eu pego o microfone e falo sem timidez, que embora eu não viva nessa montanha russa alucinada, estou super feliz com minha gangorrinha!! Só na alegria!

http://minhamestria.blogspot.com/
http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails