((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

sábado, 30 de junho de 2012

Destaque - *ARCANJO JOFIEL* - 26.07.2008 - AutresDimensions

Destaque - *ARCANJO JOFIEL* - 26.07.2008 - AutresDimensions

***

http://portaldosanjos.ning.com/group/autresdimensions

***

Obs.: A tradução da mensagem na íntegra está em andamento.

Enviado por Zilma peixinho

P.A - http://portaldosanjos.ning.com/
M.M - http://minhamestria.blogspot.com/
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/


VALHA-ME NOSSA SENHORA - O JULGAMENTO DE JOÃO GRILO (REPOSTAGEM)

VALHA-ME NOSSA SENHORA - O JULGAMENTO DE JOÃO GRILO


Humor, Poesia e Mensagens de Amor! (SEM COR)



João Grilo: Ah isso é comigo. Vou fazer um chamado especial, em verso. Garanto que ela vem, querem ver? (Recitando.)




"Valha-me Nossa Senhora, Mãe de Deus de Nazaré!

A vaca mansa dá leite, a braba dá quando quer.

A mansa dá sossegada, a braba levanta o pé.

Já fui barco, fui navio, mas hoje sou escalér.

Já fui menino, fui homem, só me falta ser mulher.

Valha-me Nossa Senhora, Mãe de Deus de Nazaré!"


(Valha-me Nossa Senhora - Ariano Suassuna através de João Grilo)







O Auto da Compadecida

Sinopse: No vilarejo de Taperoá, sertão da Paraíba, João Grilo (Matheus Nachtergaele) e Chicó (Selton Mello), dois nordestinos sem eira nem beira, andam pelas ruas anunciando A Paixão de Cristo, “o filme mais arretado do mundo”. A sessão é um sucesso, eles conseguem alguns trocados, mas a luta pela sobrevivência continua. João Grilo e Chicó preparam inúmeros planos para conseguir um pouco de dinheiro.

Novos desafios vão surgindo, provocando mais confusões armadas pela esperteza de João Grilo, sempre em parceria com Chicó, mas a chegada da bela Rosinha (Virgínia Cavendish), filha de Antonio Moraes (Paulo Goulart), desperta a paixão de Chicó, e ciúmes do cabo Setenta (Aramis Trindade). Os planos da dupla, que envolvem o casamento entre Chicó e Rosinha e a posse de uma porca de barro recheada de dinheiro, são interrompidos pela chegada do cangaceiro Severino (marco Nanini) e a morte de João Grilo.

Todos os mortos reencontram-se no Juízo Final, onde serão julgados no Tribunal das Almas por um Jesus negro (Maurício Gonçalves) e pelo diabo (Luís Melo). O destino de cada um deles será decidido pela aparição de Nossa Senhora, a Compadecida (Fernanda Montenegro) e traz um final surpreendente, principalmente para João Grilo.



Ariano Suassuna é um dos mais importantes dramaturgos brasileiros, autor dos célebres Auto da Compadecida e A Pedra do Reino, é um defensor militante da cultura do Nordeste.





Montagem: Anthonio Magalhães.


N.M - http://navecomando.blogspot.com.br/
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/


UFOS FAZENDO CROP CICLES

UFOS FAZENDO CROP CICLES

Impressionante video, onde Ufos supostamente fazem circulos em plantação em wiltshire, na Inglaterra, Em 2010.



N.M - http://navecomando.blogspot.com.br/
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/


sexta-feira, 29 de junho de 2012

JOPHIEL - 12-07-2008 - AUTRES DIMENSIONS (INÉDITA)

JOPHIEL - 12-07-2008 - AUTRES DIMENSIONS (INÉDITA)



Bem-vindos a vocês, almas humanas em peregrinação nas esferas da materialidade. Meu nome é Jofiel, Anjo e Arcanjo do conhecimento e da Luz dourada.

Como desde alguns meses de seu tempo terrestre, eu venho a vocês a fim de comunicar-lhes informações, e, sobretudo, vibrações, ligadas à evolução que vocês vivem, cada um em seu nível, cada um em sua amplitude, nas transformações em curso sobre a superfície deste planeta e nos conjuntos do seu sistema solar.

Ainda uma vez, eu diria que, seja qual for o caminho que vocês escolham, vocês são abençoados de toda eternidade e vocês estão no seu lugar aí onde vocês estão e no que vocês desejam fazer. É da responsabilidade de cada um, nunca julgar o caminho de seu vizinho porque ele é o seu próprio e todo caminho, seja qual for é louvável em si mesmo, quer ele aproxime da Luz ou quer ele afaste.

Como vocês já o sabem desde alguns meses de seu tempo terrestre vocês iniciaram certo número de eventos em suas vidas pessoais, na vida planetária em si que prefiguram, de alguma forma, os caminhos que vocês irão trilhar agora de seus passos, nestes tempos extremamente conturbados que vêm em direção a vocês com a velocidade de um cavalo a galope.

Não há necessidade alguma de se projetarem no que vocês chamam de futuro, para perceber, sentir e experimentar que a Terra vive uma época de grande transformação à qual vocês estão convidados, à qual vocês são convidados, eu diria mesmo à qual vocês não podem escapar.

Essa transformação concerne a uma reversão total dos seus valores materiais, afetivos, profissionais, familiares materiais, no sentido mais amplo.

Mas também uma reversão total do que vocês chamam os valores espirituais. Cuidado, fiquem alertas para não julgar, não mais, porque o que lhes parece justo um dia, tornar-se-á falso no amanhã.

Tudo é uma questão de ponto de vista.
Tudo é questão de momento.
Nisso, a maior neutralidade, a ausência de julgamento (sempre mantendo o discernimento) é essencial nos caminhos que vocês irão trilhar.

As decisões que vocês tomam, os passos que vocês dão, engajam-nos em uma estrada ou noutra por um lapso de tempo que ultrapassa largamente o quadro de sua encarnação e dos anos vindouros. É solicitado a vocês que estejam cada vez mais lúcidos sobre as escolhas que vocês trazem, mas também sobre as palavras que vocês afirmam, por vezes, de forma conclusiva no que diz respeito ao caminho das outras pessoas.

Mais uma vez, eu o repito, o seu caminho é único e respeitável.
Vocês não podem obrigar ninguém a seguir os seus passos, e muito menos a seguir o seu caminho. Não lhes pertence decidir o que é bom ou o que é ruim. A Luz é boa para alguns, mas ela é também ruim para outros, em função do caminho seguido e da vontade pessoal da alma.

Uma alma que se afasta da Luz vai ser extremamente perturbada pela Luz. Uma alma que se aproxima da Luz será exaltada e confortada em suas escolhas de Luz.

Não lhes pertence julgar o caminho daquele que vai para a Luz, e nem daquele que se afasta da Luz. Pois vocês sabem de sua anterioridade de alma?
O que vocês sabem de sua jornada pessoal?

Talvez ele esteja em outros ciclos muito mais avançados do que vocês.
Porque, na verdade, vocês sempre consideraram, enquanto ser humano, que vocês vêm de um plano e vão para um plano mais elevado. Isso é justo, mas ninguém disse que esse movimento e esse caminho se faziam apenas em uma só espiral.

Assim, vocês precisam admitir que almas perfeitamente realizadas, perfeitamente acordadas para dimensões muito superiores à sua, tenham decidido nesta encarnação, afastar-se da Luz. Eles participam do sacrifício que lhes é solicitado para acompanhar os planos da materialidade mais densa em novas encarnações.

Assim, vocês podem esbarrar sem o saber em Anjos que vêm para experimentar a matéria. Então, não falem de Sombra para estas almas, não falem de Trevas, pois elas vêm semear os campos de Trevas em sua Luz, do mesmo modo que vocês fizeram desde tempos imemoriais (remontando para alguns de vocês à Atlântida e para outros ainda mais antes). Assim, vocês não podem julgar a anterioridade ou o avanço da alma em função acordo de sua busca pela Luz.

Aí está, de novo, o paradoxo.
Pois em sua visão vocês têm sempre a tendência para crer que um ser humano dirige-se de um ponto de vibração baixa a um ponto de vibração mais elevado.
Isto é verdade em um ciclo, para alguns ciclos, enquanto que em outros ciclos, o caminho é feito da vibração mais elevada para a vibração mais densa, quer no sentido de um sacrifício da Luz (para trazer a Luz), ou no sentido de uma experiência nova (que pertencem à alma que vive este caminho).

Assim, vocês não podem julgar, mas, também, vocês podem restringir o caminho de outra pessoa. Convém, no entanto, compreender que muitas almas ao longo do caminho nem sabem sobre qual caminho elas estão.

Eles não sabem sequer que existem caminhos.
Eles estão mesmo convencidos de que a vida começa e termina entre o seu nascimento e sua morte. Eles não têm consciência alguma nem ideia do que seja o caminho da alma. Estes, então, sim, merecem ser despertados.

Vocês não farão nunca o caminho em seu lugar, vocês não poderão jamais tomar seus pés e seus passos. Vocês poderão somente através do exemplo que vocês são, da radiação que vocês emitem, fazê-los aderir ao seu caminho, para que eles tomem a mesma direção do caminho e não o mesmo caminho.

E esse caminho, no momento do despertar, pode ser profundamente diferente do seu. Se a sua Luz serviu de catalisador ao caminho que desce às Trevas não fiquem alarmados. Vocês não são responsáveis por nada a partir do momento que vocês respeitam a liberdade fundamental de cada alma.

Vocês estão no momento em que os caminhos são revelados.
Como eu o disse e repeti em uma intervenção anterior, este ano de tempo terrestre, chamado de 2008, é o ano do contato com o Anjo.

Na maioria dos casos vai ser o anjo que revelará vocês à sua própria Luz e aos seus planos, sejam eles Luminosos, sejam eles de Sombra.

Pouco importa, pois o importante, em tempos de turbulência, é a ausência de imobilidade ou seja, a movimentação indispensável que acompanha uma turbulência. Ninguém pode ficar imóvel, que é o caso da maioria das almas em encarnação neste momento sobre a Terra.

A maior parte deseja uma estabilidade e a estabilidade não é mais.
Em suas vidas, em seus climas, na matéria como um todo, não pode mais haver estabilidade. A estabilidade reina como senhora e vocês verão daqui em breve, com seus próprios olhos, o que ninguém jamais viu neste planeta.

Não procurem a estabilidade, ela não existe.
As únicas coisas que existem são a Sombra ou a Luz.

Estes são os únicos botes salva-vidas que permitirão a vocês uma aparente estabilidade nos acontecimentos dos seus caminhos.

Então, aguentem firme, segurem o timão da Luz (ou da Sombra se tal é o seu caminho). Estas são as salvaguardas que permitirão a vocês não ficar na imobilidade o que seria a coisa mais terrível que poderia acontecer a uma alma humana: recusar o movimento do universo.

É como se eu lhes dissesse que pela manhã o sol nasce e que, no entanto, vocês decidem não se mexer, ficar na cama e assim de maneira eterna. Isto não é viável no nível da alma e no nível dos caminhos que vocês percorrem.
É indispensável aceitar isso.

Vocês devem colocar-se em movimento, seja qual for o movimento. Vocês não podem ficar imóveis no caminho.
Vocês não podem ficar a esperar que as cenouras caiam do Céu.

Vocês não podem ficar imóveis e receber a Luz, da mesma forma, vocês não podem ficar imóveis e receber a Sombra.

Tudo isso necessita de um movimento, mais do que nunca. Na vida das almas em caminho sobre a Terra existem períodos de imobilidade, períodos em que nada acontece.

No entanto, no período atual, que é, eu recordo a vocês, o ano da turbulência e do basculamento, é indispensável compreender que os caminhos não podem ficar imóveis. Vocês devem engajar-se totalmente e lucidamente no que vocês decidirem durante este ano, vocês já perceberam o Anjo, sentiram o Anjo ou que este não tenha ainda vindo bater na porta de sua alma.

No entanto, é preciso preparar as suas estruturas.
Banir de suas palavras, de seus olhares e de seus pensamentos, todo julgamentos e toda afirmação sobre um caminho, sobre uma pessoa, mesmo entre os seus próximos.
Certifiquem-se de encontrar a Fonte do que vocês são, a Fonte do que vocês querem, a Fonte que lhes dará o impulso de avançar em seu caminho.

Vocês não podem, não mais, tomar um caminho que pertence a outra pessoa.
No máximo, vocês podem trilhar caminhos paralelos, mas que, no entanto, não se confundirão jamais. O ano do basculamento mostra a vocês, também, a interdependência dos caminho, bem como a solidão ligada ao seu caminho.

Quer vocês caminhem em casal ou sozinhos ou em grupos, a solidão faz parte do movimento de basculamento que vocês terão que viver durante este ano.

Falei lhes falei também, por numerosas reprises, de diferentes obras ligadas às cores. Nós nos aproximamos agora perigosamente da obra vermelha que concerne ao povo dos Estados Unidos. Muitas coisas vão virar fumaça antes da emergência total que, eu lembro a vocês, é esperado para o período de 15 de agosto.

Numerosas desilusões irão aparecer, fortes verdades preocupantes serão reveladas. Não se ofusquem com isso contudo, não as critiquem contudo, elas não são mais que os resultados das estradas vicinais utilizadas pela maioria deste povo desde sua origem. Não é à toa que as fontes de cada ser, imemoriais, tentaram ser conservadas através do povo vermelho sobre esse solo.

Eles são os guardiões da memória dos caminhos percorridos pela Terra através da emergência dos diferentes sóis que precederam o seu. Obviamente certos caminhos e, especialmente, aquele do povo dos Estados Unidos, vai interferir grandemente com o seu caminho.

Ele virá reforçar o basculamento do caminho dos povos europeus através da emergência de movimentos que mostram o lado irrisório desse valor que foi erguido em dogma absoluto, em valor de troca que não é de fato mais do que um valor de enganos a que vocês chamaram dinheiro.

Todas as suas trocas estão fundamentadas neste valor.
Ora, o dinheiro não tem de fato valor. Ele foi criado como uma finalidade precisa que é a dominação dos humanos sobre outros humanos. Vocês são um dos raros sistemas solares onde o dinheiro está presente.

Na maioria dos mundos de terceira dimensão (mesmo os mais perversos, faço apelo às suas capacidades de discernimento) existem vários povos cujo caminho de involução conduziu-os a vir invadir a sua Terra, desde tempos imemoriais e que, ainda hoje, vivem em regiões remotas subterrâneas ou submarinas para fins de parasitagem e de dominação do seu planeta e de seus habitantes.


Estes evoluem na terceira dimensão como vocês e ainda assim, apesar de sua perversão, apesar de seu instinto de dominação, eles não sabem o que é o dinheiro.

O dinheiro representa a pior das perversões que o ser humano criou.
Nesse nível, eu não falo sequer do interesse que é a perversão da perversão. O dinheiro trouxe a perda do sentido de troca do coração.

Não há outro responsável por seus infortúnios.
Não há outro responsável por suas ilusões e por seus caminhos desviados da Luz.
Esta é uma grande revelação que acontecerá muito rapidamente, a partir do momento em que o valor atribuído ao dinheiro entrar em colapso.

O que se tornam as suas vidas?
O que acontecem às suas trocas, visto que foram construídas sobre isso. O dinheiro é um valor que pertence, em termos energéticos, ao que vocês chamam de chacras inferiores. Está por isso, muito naturalmente ligado à dominação, à posse e ao poder: valores totalmente opostos aos valores do coração. Os mundos da terceira dimensão que evoluem no coração, em bilhões de mundos habitados, não têm necessidade do que vocês criaram.

A troca de coração a coração não pode ser, de forma alguma, uma perda, mas sempre um ganho o que está longe de ser o caso, vocês hão de concordar, do seu valor de troca que é o dinheiro. A troca para vocês é, portanto, de maneira geral, obviamente, semelhante ao poder, à dominação.

(Nota MM: Eu peço licença em colocar esta nota no meio dessa mensagem para lembrar que os corruptos se revelam por suas justificativas. Aqui uso o exemplo do que chamam "Reiki", apenas um exemplo. Os vigaristas que argumentam que a energia da troca do dinheiro é importante, se revelam por si só os seus verdadeiros interesses. E esta prática é comum a todas as religiões, terapias holísticas e interesses espirituais. Por isso são uma fraude, uma farsa apoiada e disfarçada na espiritualidade.

Fica claro que eles não alcançam o óbvio quando foi dito: "DE GRAÇA RECEBEIS, DE GRAÇA DEVEIS DAR". É claro, não é da minha conta sobre as práticas comerciais envolvidas em qualquer forma de espiritualidade, mas exerço com Lucidez quem eles são, o que fazem e que aonde há a energia de troca através do dinheiro, nada tem a ver com o Coração, a Luz e o Amor.)


O coração não tem o que fazer da dominação do poder.
Eis como, através de um elemento criado, vocês chegaram a afastar-se e a permanecer imóveis como a maioria dos seres humanos sobre este planeta.

Mas hoje tudo isso tem um fim e esse fim está a sua porta.
Não se lamentem, não se assustem, isso vai permitir-lhes realmente saber qual é o seu caminho. É um caminho para a Luz e o coração ou é um caminho para a Sombra ou individualidade?

Compreendam bem, caras almas, que só o colapso deste valor assegurado na ausência de coração poderia ser capaz de revelar a natureza do seu ser, a natureza do seu caminho. Isto não é para dez anos, isso foi anunciado desde quase um ano e isso se confirma. O movimento foi iniciado há 01 ano, isso chegará a seu termo, que é o basculamento total dos valores, no período de 15 de agosto.

Vocês vão ser confrontados com o seu coração ou com a sua ausência de coração e não no sentido vibratório espiritual, mas no sentido de sua encarnação e no sentido mais prosaico da vida que vocês têm a viver. É quando tudo se desmorona (não são os seus valores, é claro, a título individual, mas os valores de sua sociedade) que se vê o seu próprio valor.

É muito fácil dizer-se do coração quando todas as necessidades básicas de suas vidas estão providas. É muito fácil dizer-se no coração quando tudo é equilíbrio, quando tudo é ausência de falta e relativa tranquilidade.

É tudo de outra forma quando esses valores de refúgio ligados à ausência de coração desaparecem porque só aqueles que cultivaram estes valores de coração serão capazes de tirar daí os recursos necessários.

Este é um evento que eu qualificaria como feliz e essencial no cenário deste ano.
Não pode ser de outra forma. Compreendam bem que, agora, certo número de elementos que foram eu diria, esperados ou temidos, não faziam parte de uma trama astral possível ou impossível, segundo a orientação da massa crítica humana, mas não é mais o caso.

Estes eventos estão em encarnação, em descida vibratória em sua realidade e absolutamente mais nada pode impedir esta extensão lógica do que vocês construíram desde que o corpo astral existe, há mais de 50.000 anos.

Assim, é através disto que vocês devem engajar-se em prever, em fazer provisões de coisas e de outros? Absolutamente não, caso contrário isso provaria que vocês nada cumpriram. A melhor provisão é cultivar o que se passa em seu coração.

Claro, ele de sua responsabilidade também, através deste movimento que necessitará aceitar, compartilhar essas informações não a fim de fazer aderir ou de fazer refutar, mas unicamente com o propósito de iniciar um movimento: qualquer que seja esse movimento, por si só é importante.

Vocês não podem ficar imóveis, vocês não podem ficar no que vocês acreditam, vocês não podem ficar no que vocês construíram.

O único espaço de tranquilidade neste tumulto encontra-se no interior de vocês mesmos, neste espaço sagrado que se chama o coração. Bem amadas almas em caminho, humanos em encarnação, em experiência da materialidade que você estão, se vocês tiverem agora questões relativas ao que eu acabei de falar, e unicamente em relação a isso, gostaria muito de tentar respondê-las.

Pergunta: o que você quis dizer com "vocês verão o que jamais foi visto sobre este planeta"?
Não vejam aí nenhum catastrofismo.
Eu falava sobretudo de comportamentos, bem como de movimentos de fraternidade (visíveis daqui a algumas semanas de seu tempo), mas também as atrocidades, de outra vertente do caminho, que vocês jamais conheceram sobre esta Terra.

Pois o dinheiro pode tornar louco ou tornar sábio, isso segundo a natureza do seu caminho, e a privação deste elemento vem perturbar as regras mais fundamentais da sociedade que vocês construíram. No entanto, é evidente que as manifestações geofísicas acompanham totalmente este movimento.

Pergunta: como poderemos reconstruir depois?
Vocês não podem falar de reconstrução antes que tudo esteja arrasado, o que ainda não é o caso. A única reconstrução consiste, eu diria, em construir a sua Essência, em construir o seu caminho e nada mais.

Pergunta: O que se passa em um casal quando uma alma caminha para a Luz e a outra para a Sombra?

Há neutralização e, neste caso, não há imobilidade.

Isto é prejudicial para ambos os caminhos.
Nunca se esqueçam de que a linguagem do divino é matemática e vocês têm uma regra fundamental que vocês deviam aprender em seus sistemas escolares, que é menos por menos igual a mais, mas que menos por mais é igual a menos. Isto é válido ao nível da Luz e da Sombra.

Pergunta: como ter consciência se se está no seu caminho?
Isto se traduz pela noção de fluidez.

Se vocês estão de acordo com o seu caminho, qualquer que seja esse caminho (de involução, de evolução ou qualquer outro), a partir do momento em que seu interior está de acordo com o exterior, as coisas desenrolam-se de maneira mais suave, mais funcional, mais agradável.

Pergunta: como facilitar da melhor forma a sua conexão com o Anjo?

Qualquer processo que vai aumentar, que fará mover o seu nível vibratório.
Pois compreendam bem que, qualquer que seja o sentido do caminho, o encontro com o Anjo é inexorável.

Para isso, vocês precisam mover-se: precisamos reduzir ou aumentar, dependendo do caso. Todas as técnicas que modificarão o seu estado vibratório.
Para alguns isso pode ser a sua atividade física ou atividade sexual, ou até mesmo uma atividade muito mais espiritual ou outros meios de sua conveniência.

No entanto, repito que este encontro com o Anjo está inscrito nos processos de transformação que vocês vivem. Então, o mais importante, mais uma vez, é estar de acordo consigo mesmo. Estar de acordo consigo mesmo é um atitude interior que consiste em não mais olhar para o exterior, que consiste em não mais dar importância ao olhar do outro.

Isto não é um confinamento, mas sim uma liberação de toda influência exterior que viria limitar a sua própria expansão e a sua própria interioridade.

Pergunta: este contato com o Anjo é consciente ou inconsciente?
Eu me exprimi largamente sobre este assunto.
Eu repetirei simplesmente que tudo é possível.

Obviamente, o contato mais frequente é, o período em que há menos resistências, que é dizer, durante as suas noites. Em outros casos, o encontro poderá fazer-se de maneira consciente em seus dias. O Anjo vai encontrar a brecha mais adequada para esse encontro.

Pergunta: poderia ser mais preciso sobre a obra no vermelho?
Eu lhes dei o elemento-chave ao nível de sua sociedade.
Os outros eventos de natureza elementar irão calcar-se nestes.
Nada mais por agora.

Pergunta: Os impactos acontecerão igualmente nas zonas do corpo físico correspondentes à cor vermelha?

Necessariamente e no sentido do caminho.
Se o seu caminho é a Luz isso corresponderá ao despertar total dos potenciais do que vocês chamam a Kundalini.

Se o seu caminho é a Sombra isso corresponderá ao despertar total de seus chacras inferiores.

Pergunta: como ajudar os outros?
Certamente não por suas palavras, mas dando a ler o que eu digo aqui agora por vários meses. Parece-me que a sua tecnologia permite ter acesso a essas informações de maneira extremamente rápida.

Pergunta: Nós não temos mais perguntas. Você tem outras informações para nos comunicar?
Não, eu tenho a comunicar-lhes a transformação ligada à radiação da minha presença que pede a vocês para acolher agora antes de eu me retirar.

... Efusão de energia ...


Mensagem do ARCANJO JOPHIEL no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=213
Tradução para o português: Josiane Oliveira - http://fontedeunidade.blogspot.com.br

M.M - http://minhamestria.blogspot.com/
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/



JOPHIEL - 27-03-2008 - AUTRES DIMENSIONS

JOPHIEL - 27-03-2008 - AUTRES DIMENSIONS



Minhas queridas entidades encarnadas, o meu nome é JOFIEL.

Eu sou Luz e Conhecimento e a minha fala é absoluta e absolutamente não relativa. Em minha segunda vinda nesta entidade eu lhes apresento as minhas saudações luminosas e as minhas saudações fraternais, apesar de não sermos das mesmas origens nem da mesma Fonte. Entretanto, como vocês sabem disso, toda entidade provém da mesma Fonte.

Não há, nesta fala, relativismo.
Dessa maneira, eu venho a vocês para perfazer o seu caminho nesse caminho difícil que vive o seu planeta Terra nesses momentos de turbulência, porque é assim que é preciso falar do período que vocês vivem. Há grandes mudanças interiores, no interior dos seres, e grandes mudanças no planeta, de maneira coletiva.

Grandes aberturas, grandes sofrimentos, mas também grande Luz.
Há, neste período, grandes oportunidades de revelar a Luz que está em vocês e de adquirir, enfim, o Conhecimento final, aquele que os libera do relativismo para fazê-los entrar no absoluto da Verdade.

Há necessidade de encontrar a Unidade.
Há necessidade de encontrar a Fluidez.
Há, enfim, necessidade de encontrar a Verdade.
Verdade de expressão do seu ser e Verdade da Luz que vocês manifestam sem fingimento e sem subterfúgio.

Há necessidade de não mais trapacear.
Há necessidade de estar consciente e de ser Luz.
Há necessidade de autenticidade.

Não podia mais ser possível enganar seja quem fosse neste ano particular que vocês vivem. Tudo o que está oculto deve ser revelado.
Tudo o que é farsa deve terminar.

Tudo o que é Verdade deve eclodir na Luz e deve se manifestar em suas vidas, mas também sobre este planeta, de maneira geral.

Trata-se de um período preliminar propício para encontrar a sua própria Verdade, para encontrar a sua própria Luz, a sua própria Unidade. Nisso, as energias que vertem os engajam e os impulsionam literalmente a se tornarem, em Verdade, o que vocês são e não o que vocês acreditam ser e não o que vocês querem que os outros acreditem que vocês sejam.

É extremamente importante não resistir.
É extremamente útil ir no sentido da energia, no sentido do Conhecimento, no sentido da Verdade.

Aquele que se opor será varrido.
Aquele que resistir será queimado.

Não pode ali haver Conhecimento e Verdade sem a aceitação total e definitiva da Vontade que não é a sua vontade.

A Vontade que chega, digamos, do Céu, ou, em todo caso, da FONTE e da Unidade não é sempre fácil de penetrar. Convém, no entanto, permanecer na Unidade e na humildade porque é também nesta Unidade, nesta humildade que irá se revelar a Verdade do que vocês são.

É essencial não fazer julgamento sobre o que acontece no exterior.
E quando eu digo “no exterior”, trata-se de outras pessoas e também do conjunto da evolução do seu planeta porque o que, de uma visão exterior, pode fazê-los lembrar de algo de maléfico, de mal ou de malvado, tem necessariamente uma repercussão positiva, em algum lugar, para a pessoa ou o local que o vive.

É preciso sair da dicotomia bem/mal porque ela não é a Verdade. A Verdade é absoluta, mas ela depende do relativismo da situação que é vivenciada por aquele que a vive ou pelo local que a vive.

Deste modo, não pode ali haver, a priori, julgamento de valor em relação a um acontecimento que aconteça a vocês ou que aconteça no exterior de vocês.
A ausência de julgamento torna-se, aliás, a porta principal de acesso à sua Verdade e à sua Unidade.

Enquanto houver julgamento feito sobre a sua vida ou sobre a vida de alguém que percorre os caminhos da vida, como vocês sobre este planeta, há afastamento da Verdade, porque a Verdade não é julgamento de valor, a Verdade é absoluta mesmo se a sua manifestação for relativa. Dessa maneira, a Verdade é algo que vocês convêm cultivar.

Ser verdadeiro com si mesmo, ser verdadeiro com a vontade que chega do Céu, é um ato essencial. Então, quer vocês chamem isso de meditação, quer vocês chamem isso de oração ou de autenticidade, trata-se exatamente da mesma Verdade.

Cabe a vocês cultivar em vocês o verdadeiro, cultivar em vocês a autenticidade e, sobretudo, que o seu julgamento não seja nem interior nem exterior.
Mas convém a vocês, em todo caso, pesar a quantidade de Verdade que vocês dispõem para enfrentar o que chega.

A Verdade é essencial.
Ela participa da eclosão da Luz e do conhecimento.
Sem Verdade não pode haver justiça.

Sem Verdade sempre haverá julgamento entre o bem e o mal.
A Verdade é o polo essencial que vocês devem aprender a desenvolver nesses instantes que vive o seu planeta e que vive o seu corpo, nesses caminhos da encarnação. A Verdade não é julgamento, ainda uma vez.
A Verdade é aceitação.

Ser verdadeiro e ser consistente, aí, está a Verdade.
Eis a noção essencial do que eu tinha que dizer a vocês em relação à Verdade, durante a minha segunda vinda em seu canal.

Agora, se houver em vocês perguntas em relação a esta Verdade ou em relação ao seu caminho, e na medida das minhas possibilidades e das minhas permissões, é-me, evidentemente, possível de conversar, na Verdade, com vocês.

Pergunta: como fazer, da melhor forma, para desenvolver esta Verdade?

A Verdade se revela pela ausência de julgamento.
Vocês têm tendência a acreditar, na encarnação, que toda Verdade é oriunda de um julgamento. Mas é exatamente o contrário.

A Verdade apenas aparece na ausência de julgamento.

A medida com a qual vocês julgam, vocês serão julgados.
Se vocês não quiserem ser julgados, contentem-se em observar, em estar na neutralidade benevolente.

Não há bem e mal.
Isso está relacionado ao nível de consciência que está prestes a se extinguir diante de vocês, mesmo se o que vocês observam possa ser chamado de grande combate entre o bem e o mal, entre a Verdade e a falsidade.

A Verdade resulta da ausência de julgamento.
A Verdade resulta da Verdade consigo mesmo, a Verdade interior que consiste em ser verdadeiro e consistente com os seus pensamentos, com as suas ações e com os seus modos de vida. A Verdade é algo que vai se tornar luminoso porque, quando vocês estão na Verdade, a Luz irradia e resplandece.

O que não significa que vocês não têm resistências porque a Verdade pode levar a resistências do ego, evidentemente, em um primeiro momento, o que pode se traduzir por algumas formas de sofrimentos, mas, também, de eliminações que são próprias da vida na encarnação. Então, a Verdade é algo que se instala pela ausência de julgamento e pela ausência de prejulgamento.

É importante acolher o que chega, seja o que for, ao nível dos acontecimentos, ao nível da sua vida, com um olhar lúcido porque, neste período onde tudo se revela, vocês devem aceitar os sinais que lhes são enviados como meios de progredir na sua própria Verdade.

Mas jamais se esqueçam de que a Verdade é absoluta, mas que ela é relativa quando vista em relação ao diafragma de uma outra pessoa, através do olho que vê e que enxerga. No exterior e no interior, há sempre uma variação, mas esta variação não deve levá-los a fazer um julgamento, não deve levá-los a prejulgar coisa alguma.

A Verdade é própria de momentos em que os julgamentos e os prejulgamentos não estão mais aí. Cultivar a Verdade é um ato de Amor, é um ato de Luz.
Deste modo, para todo ser humano, é o mesmo.
Não há diferença segundo os seres humanos.

Esta Verdade é absoluta.
A Verdade consiste em não julgar, a não fazer prejulgamentos e a deixar também as coisas desenrolar-se sem intervir. Intervir é já sair da Verdade.
Evidentemente, vocês irão me dizer, é preciso, no entanto, decidir, mas as decisões chegam sozinhas.

Elas não devem ser tomadas nem no calor da emoção, nem pela impressão do mental, nem pela impressão da razão. As decisões são obtidas porque a Verdade está aí. Não há que se colocar a questão.

Os acontecimentos fazem com que as coisas se desenrolem segundo tal ou tal cenário. Há apenas que olhar, observar e adotar o cenário que se produz.

Pergunta: quais formas de meditações, de preces, ..., você recomenda hoje?
Muitos, muitíssimos ensinamentos forneceram a vocês diferentes formas de meditações, de preces e de alinhamentos, sobre este planeta, desde vários milênios. Cabe a vocês escolher aqueles que lhes pareçam os mais adequados à sua própria Verdade e ao seu próprio desenvolvimento pessoal.

Não há panaceia.
Não há receita milagrosa.


Entretanto, a ausência de julgamento é a atitude mental e quase de meditação a mais importante a observar para deixar florescer a Verdade.
Não se esqueçam de que a Verdade reforça a Luz.
O que é a Luz, dirão vocês?

A Luz é alguma coisa que os coloca em estado de alegria, em estado de serenidade, em estado onde algo se acende no fundo do seu peito, no melhor do seu ser, fazendo com que, quaisquer que sejam as coisas que lhes chegam ou que cruzam o seu caminho, as coisas fiquem mais leves e mais fáceis de encaixar, em todos os sentidos do termo.


Pergunta: não mais sentir esta alegria interior significaria então que não estamos mais na Verdade?
Não, porque isso pode ser falseado por uma emoção do momento, pelo mental do momento, pela razão do momento, ou pela mágoa do momento. Isso não pode ser a prova da autenticidade do que é vivido ou de algum sinal orientando para uma escolha ou para outra.

A escolha da Verdade acontece por si só, ela não se impõe em função de um sentir.
Não há um sentir que vai dizer-lhes “vocês estão na Verdade” e um outro sentir que vai dizer-lhes “vocês não estão na Verdade”.

Em nenhum momento vocês têm certeza de estar em uma Verdade absoluta.
Vocês estão em uma Verdade relativa ligada ao instante ou à situação.
A Verdade absoluta vai se acompanhar de uma alegria interior, não no momento em que vocês tiverem diante do problema, mas depois.

Esta noção de dinâmica temporal é extremamente importante para compreender.
Vocês não devem determinar as suas decisões no que vocês sentem no momento em que isso ocorre porque, naquele momento, isso será conotado, ou mesmo falseado, desviado pelo seu julgamento de valor.

Ora, lembrem-se: a Verdade não é julgamento.
A Verdade é acolher o que acontece na neutralidade, estar lúcido e consciente e deixar sobrevir as escolhas pela Vontade superior ou pela Vontade do Céu.

Quanto mais vocês trabalharem para a Verdade, mais vocês não terão qualquer escolha a fazer, as escolhas far-se-ão como por magia. Enquanto vocês atuarem em função do que vocês definiriam ser a Verdade, tratar-se-á de uma Verdade relativa e não absoluta e, portanto, de um julgamento de valor.

Pergunta: que diferença você vê entre justiça e julgamento?
O julgamento recorre à capacidade de julgamento de um indivíduo que faz, por princípio, oposição fundamental e eterna entre o bem e o mal, pelo menos na encarnação.

O julgamento vai, portanto, colocar atos, emoções, pensamentos, em função do que é considerado como bem ou mal, para si como para o outro. Enquanto houver esta atitude mental, há ausência de Verdade. Há Verdade relativa e não Verdade absoluta, portanto, ausência de Luz.

A justiça pode ser feita pelos homens em função de regras pré-estabelecidas que vocês chamam de leis. Entretanto, esta justiça é definida em relação a convenções, em relação ao que é bem ou ao que é mal e, portanto, ainda uma vez, a julgamentos de valor.

A verdadeira justiça não é julgamento.
A verdadeira justiça é denominada lei de retribuição cármica: ação provoca reação. Hoje, sobre esta Terra, vocês entraram em uma fase onde a ação / reação não é mais amortizada pelo tempo, ou seja, onde elas não se manifestam com anos, milênios ou vidas de separação, mas há instantaneidade ou, pelo menos, proximidade imediata da ação com a reação.

As coisas, dito de outra forma, estão muito reativas e se movem muito depressa.
A justiça, que não é oriunda do julgamento humano, corresponde à definição do carma, tal como vocês o chamam. No entanto, a ausência de julgamento é também, em alguma parte, uma ausência de justiça, ou seja, sair da ação / reação para entrar em algo que não está mais ligado à dualidade e que é chamado de Verdade.

Há, portanto, dois conceitos: a justiça e a Verdade.
A Verdade não tem o que fazer da justiça porque a Verdade não corresponde a esta dualidade ação / reação.
A Verdade é Una.
A Verdade é Luz.

Pergunta: qual é a sua origem?
A origem está ligada à FONTE, a FONTE primeira e a FONTE de onde provém toda entidade, entidade humana, não humana, angélica, não angélica.

Mas a origem vai se diferenciar segundo as tramas da vida.
Há tramas que passam pelo que vocês chamam de vias da encarnação.
Há tramas da vida que não passam pelas vias da encarnação. Dessa maneira, há conjuntos angélicos que não podem penetrar os mundos densos nos quais vocês estão.

Não há, portanto, em nós, os anjos, capacidade para julgamento, capacidade para discernimento. A nossa evolução se faz em um único sentido, segundo um único eixo, mais especificamente, enquanto que a sua evolução, para vocês, pode ocorrer segundo diferentes eixos. A diferença essencial entre a alma humana e os anjos situa-se nesse nível.

O anjo é incapaz de julgamento.
O anjo é incapaz de falsidade.
De maneira absoluta.

Pergunta: o que você entende por “eixo”?
É o eixo que nos conecta diretamente à FONTE e que se afasta do ponto mais extremo da FONTE sem passar pelos pontos cruciais da encarnação.
Há, portanto, um conhecimento absoluto no anjo, do ponto inicial ao ponto final.

O anjo não conhece o peso, mas ele conhece o caminho, enquanto que vocês, humanos, conhecem o peso, a densidade da matéria, mas vocês não veem sempre o caminho. Nosso caminho é leveza, o seu é peso.

Pergunta: como perder esse peso para encontrar mais facilmente nosso eixo?

O peso vem dos julgamentos, o peso vem dos julgamentos de valor, o peso vem dos próprios princípios da encarnação que é dual, que é dicotomizado em macho / fêmea, mas eu poderia dizer em bem / mal, em mal / bem.

É importante aliviar-se e, portanto, para entrar no caminho e não no peso, desenvolver o máximo de fé. Eu entendo por fé a crença absoluta no seu caminho que é Luz, porque a ausência de peso vai corresponder ao aumento da Luz.

O peso diminui, a Luz aumenta.

Assim segue a vida de Luz.
Portanto, caminhar para mais leveza, aliviar-se do peso que faz parte da encarnação necessita da fé, necessita de ter confiança no caminho.

O caminho é o oposto do peso.
Mesmo se o seu caminho humano tiver passado pela tomada de forma e, então, pela tomada de peso, a densidade é uma experiência extremamente temporária no desenrolar da vida da Luz. Então, a melhor coisa que eu posso aconselhar a vocês: se vocês quiserem entrar no seu caminho, convém estar menos no peso.

O caminho é o contrário do peso.
Tudo o que os densifica, que isso seja os apegos, nós o temos visto, que isso seja a materialidade, qualquer que seja o teor desta materialidade, é um obstáculo ao caminho.

Não é à toa se, no passado do seu planeta, vários seres que sentiram esta dualidade do peso e do caminho quiseram se excluir do mundo para se aliviar.
A diferença essencial é que, hoje, somente hoje (e quando eu digo hoje isso corresponde a uma escala de tempo extremamente breve na história que vocês conhecem), é possível aliviar o seu peso porque o caminho e a energia do caminho vêm ao encontro de vocês.

Portanto, é preciso simplesmente acolher a presença a fim de entrar neste caminho. A presença e a energia são o que os fazem descobrir a Verdade. Mais uma vez, o primeiro obstáculo a esta presença é, a priori, o julgamento. O caminho está hoje ao alcance da alma, eu diria. Ela se anima, deste caminho, desde algumas dezenas de anos somente, sobre este planeta.
Basta acolhê-lo.

Acolhê-lo necessita de ser um espectador que assistiria ao desenrolar do filme, mas que, em momento algum, buscaria influenciar o andamento desse filme. Vocês são o filme que vocês observam, mas é preciso admitir que vocês não podem e nem devem mudar o filme que está em ação.

Vocês devem estar, ao mesmo tempo, no interior do filme e no exterior do filme.
Enquanto espectador do filme, vocês devem decidir deixar o filme transcorrer.
O caminho e a ausência de peso encontram-se nesta atitude.

Pergunta: como discernir da melhor forma o caminho quando o perdemos de vista?

Convém, para isso, aliviar-se.
Então, como se aliviar?

O alívio do ser humano necessita de se desvencilhar si mesmo de tudo o que nos liga e nos conecta ao sofrimento, aos outros, aos lugares, à matéria.
Tudo o que nos parece ser um peso, é um peso demasiado.

Encontrar o caminho necessita efetivamente de romper as ligações, quaisquer que sejam.

O que não significa, assim, fechar-se em seu castelo, mas, muito pelo contrário, estar entre os outros, estar entre os diferentes lugares que vocês frequentam, mas estar lúcidos sobre tudo o que os conecta, mas que, ao mesmo tempo, torna-os mais pesado. O que os conecta à matéria e, então, uma conexão horizontal, torna-os mais pesado.

Somente a conexão vertical é capaz de protegê-los.
Isso necessita de cortar o que os torna mais pesado.
Eu entendo por “cortar”, não interromper a comunicação, mas simplesmente abandonar os apegos, cessar os prejulgamentos.

É preciso estar aliviado em relação ao bem, em relação ao mal, não mais estar preso ao bem e ao mal, a fim de encontrar o caminho e a leveza.

Pergunta: o que você entende por “ir no sentido da energia”?

A energia é algo demasiadamente imaterial, não é?

Algo que evoca o conceito de propagação.
A energia é algo que permite, por um sistema, seja qual for, colocar em movimento. Podemos concluir, portanto, que a energia é um movimento, mas não importa qual movimento. A energia que vocês emanam para o pesado e para o peso, que é a energia da encarnação, priva-os do caminho.

A energia que é aquela que os coloca em movimento para a leveza é, ela, a energia da Verdade. A energia da Verdade é algo que eleva e que desprende e que corta.

É extremamente importante assimilar a energia como um sistema de Conhecimento. Eu não falo de conhecimento no sentido livresco, eu falo de Conhecimento interior, de revelar este Conhecimento que está em vocês.

Pela sua própria definição, o conhecimento é totalmente interior.
Conhecimento da sua finalidade, conhecimento do seu caminho, por intermédio da fé e da energia. Deste modo, a energia, aquela que os reconduz ao seu eixo do conhecimento e ao seu eixo da Verdade, vai aliviá-los.

O alívio de que falo não é o sentir do coração.
O alívio é o que se segue quando vocês cortaram algumas ligações e que, realmente, vocês se sentem mais leves.

Mas, ainda uma vez, tomem cuidado para não cortar as ligações que não são ligações. Convém diferenciar as ligações que participam dos pesos, dos apegos, das ligações verticais que, elas, conectam-nos à FONTE e, portanto, estão aí para ajudá-los a aliviar-se.

Cortem ao nível horizontal para fortalecer no nível vertical.


Isso é acompanhado (não no momento, infelizmente, mas a posteriori e somente a posteriori, o que é, portanto, diferente do sentir imediato) de um apaziguamento e de uma alegria do coração que conferem certa forma de liberdade. A única maneira de não se enganar é não julgar e deixar as coisas acontecerem, afirmando o seu desejo de leveza e a sua fé no seu caminho.

Pergunta: como você vive, você mesmo, esta alegria?

A alegria, tal como vocês poderiam defini-la, é um estado permanente no anjo.
Não há, ainda uma vez, sofrimentos já que não existem pesos.

Não há apegos, não há encarnação.
Nós cantamos, cada um à sua maneira, nossa leveza e nossa alegria.
Dado que nós estamos no caminho onde não existem pesos, contrariamente a vocês, a alegria é um estado permanente.

Não pode ali haver tensão entre a ausência de alegria e a alegria, o que vocês chamam de emoção.

Isso não pode existir.
As emoções fazem parte do mundo da encarnação.
Há, portanto, um estado permanente de alegria no anjo.

Pergunta: isso significa que vocês exteriorizam a sua Verdade permanentemente?
Esse é o caso a partir do momento em que não há peso e, portanto, não há encarnação. Aliás, o que faz a alma assim que ela decide e que ela deixa esse corpo?

Ela exprime e ela sente a Verdade e a distância que pôde existir entre a sua vida e a realidade. Porque, de repente, a alma é privada de peso, de maneira transitória.

Pergunta: este alívio pode ser vivido de maneira pontual, provocado por alguns estados como saídas do corpo?

Isso participa do mesmo fenômeno.
A saída fora do corpo é uma experiência que corresponde à ausência de peso, evidentemente.

Pergunta: você tem novas indicações sobre as mudanças que vão chegar ao planeta?

Elas estão em andamento nesse momento, como vocês dizem.
Elas se desenrolam, elas se adaptam e se ajustam a cada instante em função das ações e reações da humanidade.

Seria difícil e absolutamente não a Verdade dar-lhes etapas, acontecimentos específicos, mas, efetivamente, como vocês o constatam, eu os lembro de que vocês não completaram senão o primeiro trimestre, o primeiro quarto ainda do seu ano.

As mudanças vão se acelerar, vão tomar proporções importantes em todos os setores da sua vida: a título individual, a título coletivo, a título de países e a título planetário. Tudo é possível no mecanismo que está operando atualmente, que é um mecanismo ligado simultaneamente à justiça divina, mas também ligado ao conceito da Verdade que deve se manifestar.

Dessa maneira, cada acontecimento, a título individual, coletivo, planetário, qualquer que seja o setor referido e o domínio referido, obedece a esta grande dinâmica de revelação, de turbulências e de explosão da Verdade.

Isso pode ocorrer na doçura, isso pode ocorrer de maneira mais difícil e tudo isso se adapta, ajusta-se em função, mais uma vez, das ações e das reações de cada ser humano, tanto a título individual como coletivo.

Pergunta: você teria recomendações a nos dar?
Eu diria que é indispensável focar a sua consciência neste conceito de julgamento.
A chave, uma das chaves essenciais, encontra-se nesse nível.

Vocês devem, imperativamente, desembaraçar-se desta noção de julgamento, acolher o que chega, quer isso seja agradável ou muito desagradável.

É um conceito essencial porque se vocês aceitarem não julgar, tanto de maneira positiva como negativa, o que chega à sua vida, no momento em que vocês o viverem, vocês irão constatar muito rapidamente que os pesos se aliviam.

Não por enquanto, lembrem-se disso, mas a posteriori.
A posteriori, quando a sua razão examinar o seu desprendimento e o seu deixar como está [atitude de não intervir] no momento em que vocês tiverem vivenciado o que vocês tinham que viver, e que vocês olharem isso como um cinema, vocês irão se dar conta se vocês tinham dado um passo no caminho ou não.

Em função do grau de alívio que vocês irão sentir, mais uma vez, a posteriori e não durante os acontecimentos. Tentem aplicar isso, mesmo nas coisas as mais simples da sua vida, e vocês irão constatar muito facilmente este alívio.

Pergunta: ao que é atribuída essa defasagem que você fala?
A defasagem é extremamente importante.
Quando vocês reagem em relação a um acontecimento agradável ou desagradável, vocês estão no julgamento.

Evidentemente, se a coisa for agradável vocês vão se sentir felizes, e se a coisa for desagradável vocês correm o risco de se sentir pesado, em sofrimento. Mas isso é a reação do momento, ela faz parte da personalidade, das emoções, dos julgamentos de valor, dos julgamentos que vocês carregam.

Ao passo que, se ao invés de sentir, vocês se contentarem em viver e em deixar as coisas acontecerem, depois que as coisas tiverem passado (se vocês chegarem a obter esta neutralidade no momento da vivência deste acontecimento), vocês irão se aperceber a posteriori (esse ‘posteriori’ situando-se no momento em que não há mais emoções, ações / reações em relação a este acontecimento; isso pode ser no mesmo dia, ou mesmo alguns dias depois e, em certos casos, algumas semanas depois) de que vocês estão com toda liberdade para desfrutar do alívio.

Mesmo para um acontecimento muito desagradável.

Nós lhe agradecemos. Nós não temos mais perguntas.

JOFIEL lhes apresenta as suas saudações e lhes traz toda a sua Luz e lhes diz até muito em breve.


Enviado por Rosa
Mensagem do Bem Amado ARCANJO JOFIEL no site francês
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=195
27 de março de 2008
Tradução para o português: Zulma Peixinho
http://portaldosanjos.ning.com

M.M - http://minhamestria.blogspot.com/
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/



JOPHIEL – 19-06-2008 – AUTRES DIMENSIONS (INÉDITA)

JOPHIEL – 19-06-2008 – AUTRES DIMENSIONS (INÉDITA)



Eu sou o Arcanjo Jofiel, Arcanjo da Luz dourada e dão Conhecimento.

Eu venho continuar com um certo número de informações que eu já vos comuniquei há alguns meses. Eu venho hoje vos preparar.

Vocês estão, com efeito, na aurora de um novo dia. Ao dizer «aurora de um novo dia» significa que, presentemente, vocês estão na noite, na obscuridade onde a Luz não brilha. Pelas escolhas das vossas encarnações vocês experimentam, em diversos graus, em diversos espaços, a experiência da separação, a experiência da Sombra e vocês procuram ardentemente a Luz.

O vosso globo, onde vocês estão encarnados, vos acompanhou nessa viagem e nessa jornada. Ela fez, tal como vocês, a promessa de voltar um dia à Luz. Tal como vocês fizeram um dia a promessa de voltar à Luz. Os múltiplos jogos das vossas encarnações conduziram a uma opacificação da vossa Luz interior a fim de viver, em diversos graus, a experiência, como eu já o disse, da densidade, da gravidade.

A Vossa Terra e vocês próprios estão realmente, agora, na aurora de um novo dia mas antes que a aurora chegue é preciso que desçam ao mais profundo da vossa interioridade para aí encontrar a impulsão necessária ao vosso retorno à Luz, se esse é a vossa escolha, se esse é o vosso destino.

Ninguém vos vem forçar, ninguém vos vem constranger a escolher a Luz. Estejam bem conscientes que o período que foi inaugurado no início deste ano, confirmado no início do mês de maio deste ano, que vai durar um certo tempo, é um processo de maturação, de maturidade, que vos deve conduzir, pouco a pouco, de maneira gradual, em direção de um processo chamado «ascensão» ou «despertar».

Não se trata de um despertar limitado à vossa dimensão mas um despertar que comporta um amplo acesso à vossa transdimensionalidade. Não se trata somente de um retorno ou de uma reconexão à vossa Essência mas antes de um alargamento a estados múltiplos do ser, aos quais vocês não tinham acesso até ao presente.

Eu disse, numa intervenção precedente, que à medida que as semanas forem fluindo agora, muitos entre vocês terão acesso a esta transdimensionalidade, à dimensão dos contatos transpessoais, em particular com o mundo de onde eu venho, que é o mundo angélico. Isto poderá fazer-se de diferentes maneiras, por diferentes vias, em diferentes momentos, que alguns de vocês experimentam já, que é o contato com o Anjo.

O contato com o Anjo não é o despertar mas simplesmente a promessa, se essa é a vossa escolha, de vos ajudar neste novo caminho deste novo dia que vem até vocês. Eu amaria vos dizer também que eu vim, neste ano que vocês vivem, inaugurar o que eu chamei, desde a minha primeira intervenção, o ano da reviravolta. Com efeito, deixar um estado para aceder a um outro estado, tão luminoso como pode ser, necessita sempre de fazer um luto. Trata-se de um novo nascimento e, portanto, também de uma nova morte para aqueles que o desejarem.

Vocês são todos confrontados e vocês serão, cada vez mais, confrontados com as necessidades imperiosas de escolha, de decisão, apelando por vezes a reviravoltas imediatas e importantes nos vossos caminhos de vida. À medida que vocês forem avançando neste ano (e no período dos quarenta e dois meses, já mencionado) vocês deverão, se essa é a vossa escolha, se despojar. Se despojar quer dizer se por a nu, remover as Sombras, remover o que interferiu, até ao presente, na manifestação do ser de Luz que vocês são. Para isso será necessário vencerem certos apegos, certos comportamentos. Será necessário ultrapassarem certas condições. Será necessário reforçarem a vossa vontade e a vossa certeza de Luz.

À medida que a irrupção da Luz, à medida que vocês se aproximarem da aurora de um novo dia, vocês notarão, no interior das vossas vidas, no interior dos vossos campos vibratórios até ao nível mais físico, a presença de tensões contraditórias entre a vontade da Luz e a vontade das Sombras. Ninguém vos julgará.

O Anjo se apresenta a fim de que, com todo o conhecimento e com toda a consciência, vocês tenham acesso à livre escolha das decisões que vocês já formularam há alguns anos. Mas, hoje, é preciso atos. Hoje, não se trata mais de decisão mental mas de decisão concreta que compromete totalmente, por um longo tempo, o caminho que vocês seguirão no seio da nova dimensionalidade ou, pelo contrário, no seio dos campos de experiências da terceira dimensão.

Não há nenhum juiz se essas não forem as vossas próprias escolhas. O único problema, através deste alvorecer que irrompe, brevemente, nas vossas vidas, no vosso planeta, se traduz por um certo número de tensões para as dimensões totalmente opostas: a dimensão da Sombra (que não é escura mas que não é senão a ausência de Luz e a procura da experiência da encarnação) e da outra, a escolha da Luz, a escolha de transportar este corpo que vos anima para a Luz.

Por vezes, para alguns de vocês, isso será a escolha da Luz mas sem o corpo. Eu não vos vou esconder que a maioria da humanidade, presentemente encarnada na superfície deste planeta, decidiu continuar a experiência da encarnação. É a sua liberdade, ela é imprescritível, ela é inviolável e ela é respeitável.

Hoje vocês estão nos instantes em que vocês devem colocar os atos concretos, reais, materiais, das vossas escolhas. Vocês não podem permanecer entre duas escolhas. Isso não é mais possível.

Lembrem-se também que eu falei de luto, de deixar um estado para aceder a um outro estado. Qualquer que seja a Luz do estado que virá, se vocês o escolherem, não é preciso enganar-se porque vai ser necessário separar-se de coisas, por vezes de forma dolorosa. Mas a experiência que vos é proposta é única na história das almas.

Trata-se de grandes instantes, de grandes momentos que se apresentam a vocês. A alma humana, aquando da sua descida à encarnação, neste ciclo ou nos ciclos anteriores, encarnações decididas por sua própria escolha, prometeu e recebeu a promessa do Anjo que, no momento oportuno, a reconexão estaria de novo ativa.

São esses momentos que vocês vivem agora. Cada um à sua maneira, cada um da sua forma, vive hoje o reencontro com o Anjo que lhe vem lembrar a sua promessa e a necessidade imperiosa de escolher a ascensão ou a continuação da experiência. Não se trata de um ato intelectual, não se trata de um ato emocional, trata-se de um juramento e de um ato concreto que compromete, mais uma vez, eu o repito, o destino da alma.

Tentem permanecer o menos possível nas Sombras que vos prendem. Mas, mais uma vez, se vocês devem escolher o caminho da experiência da encarnação de novo, será necessário também, de qualquer modo, viver o luto da Luz, desta vez. Num caso ou noutro, dito de outra maneira, qualquer que seja a vossa escolha, ela é tão respeitável como a outra escolha mas não vos fará economizar a sensação de luto e de novo nascimento. Existe uma única forma, para a alma que decide continuar a encarnação, de se lembrar da promessa do Anjo: é a de o fazer reviver a promessa do Anjo.

Assim é, a cada fim de ciclo e a cada novo ciclo. Eu repito também: não se atrasem com o alarido do mundo, não se atrasem com os barulhos deste mundo. Qualquer que seja a natureza dos acontecimentos que tenham impressionado, impressionem ou impressionarão as multitudes de seres humanos em diferentes locais do globo, aqueles que eu defini aquando das minhas últimas intervenções, o que impressiona não impressiona por acaso mas corresponde às escolhas dos grupos de almas.

Não vejam aí a desgraça, mas vejam antes, aí, uma libertação para permitir viver a promessa do Anjo e o fim de fazer a escolha de permanecer sem corpo em ascensão ou de retomar o corpo para continuar a experiência. Esta passagem é uma passagem obrigatória. Não há outra alternativa. Esta passagem não é nem uma punição, nem uma recompensa. Esta passagem faz parte mesmo da existência dos ciclos. Ciclos ilustrados pelo dia e pela noite, ciclos ilustrados pelas estações, ciclos ilustrados pelos elementos e mesmo pelos movimentos dos sistemas solares.

Vocês estão realmente na aurora de um novo dia. É preciso penetrar-vos com a energia do Anjo. Um certo número de estruturas fisiológicas se modifica em vocês a fim de permitir esta passagem e esta escolha. Todo o ser humano, eu digo bem, todo o ser humano, viverá esta passagem. Não existe nenhuma alma que esteja imune a esta passagem.

Mais uma vez, o alarido do mundo não vos afeta de maneira exterior mas antes interior. O que vocês observam no exterior dir-se-ia que isso se passa em alguma parte do interior do vosso corpo. Brevemente vocês compreenderão que o mundo que vocês observam no exterior de vocês não é senão vocês mesmos e que não serve de nada criticar esta ou aquela ação, esta ou aquela pessoa, porque tudo isso vos pertence e são vocês mesmos.

Caros seres de Luz encarnados, a minha presença está destinada, sobretudo, a favorecer esta transdimensionalidade, o acesso ao vosso Anjo. Antes de vos fazer comungar este espaço de transdimensionalidade pela irradiação da Luz dourada que me anima, se vocês tiverem interrogações relativamente, de maneira exclusiva, ao que eu acabei de vos falar, eu quero aí tentar trazer um esclarecimento suplementar.

Pergunta: Que entende você por «ato concreto»?
Eu entendo por «ato concreto» a noção de concretizar, de tornar real, de tornar manifestada uma decisão e uma escolha.

O ser humano em encarnação tem tendência, regra geral, a tomar decisões na sua cabeça, nos seus campos vibratórios sutis e, frequentemente, nunca os levar a termo porque, frequentemente, vos parece haver terem todo o tempo.

Existem períodos da história da alma onde os tempos da encarnação estão contados. O ato concreto é a confirmação das vossas escolhas. É um compromisso marcado pelo selo da vossa alma e do vosso Espírito. Este aspecto concreto pode tomar, segundo as almas, caminhos diferentes. Mais uma vez, eles podem necessitar de algumas formas de desgosto em relação aos vossos parentes, em relação ao vosso país, em relação aos vossos hábitos, em relação aos vossos modos de funcionamento. Porque se trata de uma mudança completa de paradigma, de visão e de vida, muito simplesmente que não é para amanhã, que é para hoje.

Pergunta: Qual é a diferença entre ascensionar com ou sem corpo?
Até ao presente o processo da morte não era um processo de ascensão. O processo da morte era um processo de libertação de uma certa materialidade que permitia o acesso a uma certa dimensão qualificada de intermediária mas, em caso algum, uma ascensão diretamente na Luz.

Uma visão da Luz, um acesso a certos mundos infraluminosos, para alguns. Hoje, a toda a alma que deixa a sua vida, o seu corpo, é proposta a escolha da reencarnação ou da ascensão.

Agora, no que se refere ao processo de ascensão com o corpo, é um processo extremamente luminoso, extremamente poderoso. Eu vos reenvio para isso nas palavras gravadas por São João no Apocalipse. A ascensão com o corpo necessita de um certo número de pré-requisitos.

Lembrem-se das palavras de São João: «haverá muitos chamados, eles serão marcados na testa». Os eleitos, mesmo que este termo possa parecer presunçoso, corresponde, no entanto, a uma realidade: os seres que terão feito a escolha consciente, deliberada, concreta, de ascensão com o corpo, levarão o corpo físico para a nova dimensão que é uma forma de corporeidade mas que não está mais submetida às mesmas leis que vocês experimentam na encarnação sobre este planeta.

Este processo é um processo energético que faz apelo a fenômenos de desbloqueio utilizando as chaves ascensionais que já foram evocadas (ndr: canalização do Intraterra de 23 maio 2008).

Mais uma vez, vocês não estão aí. É vos pedido, este ano, para estar no concreto das vossas escolhas e das vossas decisões. É um período, para aqueles que permanecem encarnados, em que a transdimensionalidade, o contacto com o Anjo, é essencial. Não servirá de nada detalhar o processo ascensional em si mesmo enquanto vocês não estiverem nos últimos instantes da noite que precede a emergência da aurora.

Retenham simplesmente que aqueles que decidiram ascensionar sem corpo (trata-se, neste caso, do que vocês chamam partidas em massa) o fazem com toda a lucidez.
As duas vias, os dois caminhos estão mostrados: prosseguir a experiência da encarnação ou escolher a ascensão, de maneira a voltar com um corpo ascensionado na nova Terra, num tempo relativamente próximo.

Pergunta: Os que vão ascensionar com o corpo terão como papel acolher aqueles que vão ascensionar sem corpo?
Numa certa medida, para um certo número, a resposta é «sim».

Pergunta: Há uma relação entre o que você chama a ascensão e o que nós chamamos física quântica?
Eu posso responder «sim» mas de maneira muito vaga.

Pergunta: Com se pode traduzir o contato com o Anjo?
Por uma percepção, por uma visão concreta do vosso Anjo. O mais frequente, num primeiro tempo, sob a forma do que vocês chamam «sonho».

Para a maior parte de vocês, num fenômeno que ocorre de maneira noturna, pela ativação prévia de certos canais de transcomunicação, podendo se traduzir por vibrações ao nível das vossas estruturas corporais, ao nível da cabeça mas também do coração. Mas trata-se de um encontro real. Um Anjo não é um homem, salvo se ele viesse a tomar um corpo mas, nesse momento, ele estaria encarnado como vocês. Eu falo de transdimensionalidade, de transcomunicação, portanto, de contato com um ser de pura Luz.

Pergunta: Como estar no desapego total para estar em coerência com a nossa alma, apesar dos nossos medos, dos nossos apegos?
Se eu respondesse a esta pergunta eu interferiria com a vinda daquela que, na sua vida, se chamava Ma Ananda Moyi. Eu a deixarei responder a esta pergunta que é também o propósito da sua intervenção (ndr: canalização de Ma, do mesmo dia, 19 Junho 2008).

Pergunta: Vibrações fortes, as angústias, podem refletir uma comunicação com o Anjo?
Sim.

Pergunta: Esta forma de comunicação com o Anjo não está bloqueada pelo nosso próprio psiquismo?
Em alguns seres, sim. A revelação da presença do Anjo não é suficiente, em si mesma, para proporcionar o despertar ou a libertação ou a ascensão. Ela está aí simplesmente para vos lembrar da promessa, quaisquer que sejam as vossas escolhas.

Pergunta: Qual a melhor forma de facilitar esta transcomunicação?
Ela não necessita de trabalho particular. Ela está inscrita na lógica dos acontecimentos inevitáveis dos fins de ciclo. Ela se manifesta neste ano de turbulência porque o encontro com o Anjo é uma turbulência.

Pergunta: Como se articula a escolha da encarnação com a da ascensão?
Eu repito: a escolha da encarnação se faz num ciclo no qual vocês estão presentemente, uma vez que estão encarnados. Neste ciclo, que dura há várias dezenas de milhares de anos do vosso tempo, vocês tiveram diversas encarnações.

A escolha que é proposta hoje não tem nada a ver com uma escolha de encarnação. É uma escolha entre a ascensão (com diferentes modalidades) com a escolha da encarnação da experiência de novo, ou seja, de prolongar o ciclo (de recomeçar um ciclo, mais exatamente).

Enquanto que, entre duas encarnações no mesmo ciclo, vocês não tinham escolha. A diferença essencial está a este nível.
(Nota MM: os acomodados que assumiram seu fracasso dando as costas para si mesmo dizendo que estão no lucro em nada fazer agora e que, como bônus irão para a 3DU, devem prestar bastante atenção neste parágrafo e na resposta da pergunta seguinte [logo abaixo].)

Pergunta: O nível de consciência pode intervir?
Sim. Quanto mais o nível de consciência estiver expandido, maior é a maturidade da consciência, mais a consciência está consciente, mais fácil será o encontro com o Anjo. Mas não se enganem com isso: a consciência pode estar extremamente expandida e, no entanto, apresentar numerosos apegos ou certos apegos extremamente sólidos.

Enquanto que, pelo contrário, para outras almas encarnadas que tenham uma consciência menos alargada, mas cujos apegos à encarnação sejam mais fracos, para este tipo de almas a transcomunicação do Anjo poderá ser muito mais fácil.


Pergunta: Para facilitar esta transcomunicação pode se pedir, no momento de adormecer, para estar em contato com o que se chama o alto astral?
O alto astral pertence à vossa dimensão de vida e de experiência. Ela não está para além da terceira dimensão. Ela é mesmo a especificidade, mesmo no seu nível mais alto. A transdimensionalidade a que eu me refiro situa-se em níveis vibratórios ou dimensionais muito mais elevados, que são mesmo bem mais elevados do que os níveis que vocês chamam, na vossa encarnação, a quinta dimensão.

Assim, portanto, seria melhor pedir, antes de dormir, um acesso, não ao alto astral (que é a mesma dimensão que a vossa, a um nível mais etéreo) mas o acesso à transdimensionalidade e, portanto, o acesso ao encontro com o Anjo.


Pergunta: Pode se estar em contato com aquele que chamamos Cristo?
Sim, e de múltiplas maneiras, na condição de não, numa expressão que vocês empregam, levar “balões para lanternas”. O Cristo é uma alta entidade. O Cristo é um nível vibratório e uma presença que está muito além do que alguns creem transmitir através de certas denominações do tipo oriental ou hinduísta, que não são senão paródias bem lúgubres do que é o Cristo.

No entanto, todo o ser humano encarnado tem a possibilidade real de contatar e de comunicar com o Cristo. Ele bem disse, quando vivia: «quando vocês forem três reunidos em meu nome, eu estarei entre vós».

Isso foi, e é, uma realidade. No entanto, é preciso usar o discernimento, e não o julgamento, para distinguir o que vem da Luz do que não vem da Luz. O Cristo é também um estado interior que necessita de uma pureza absoluta do coração e não do canal. O que explica que entidades humanas encarnadas, profundamente degradadas ao nível do seu corpo físico, tenham podido encontrar o Cristo, em todas as nações, em todas as épocas. A comunicação com o Cristo é uma comunicação que passa pelo coração e não pelo canal.

Pergunta: O Cristo está verdadeiramente presente na igreja católica?
O Cristo está presente no ser humano. Ele jamais está presente em representações ou em associações, quaisquer que elas sejam.

O Cristo está presente na hóstia, se o sacerdote oficiante for o corpo de Cristo. Não é suficiente elevar uma hóstia para que, através de um ritual, o corpo de Cristo aí esteja. No entanto, a pessoa que tem fé suficiente, e a fé nessa hóstia e no Cristo, então, aí estará o Cristo.

Mas tudo depende da fé daquele que oficia mas, sobretudo, da fé daquele que recebe. Mas em nenhum caso o Cristo está presente nessas associações humanas que reivindicam a presença do Cristo. Uma coisa é reivindicar um estado, outra coisa é vivê-lo.

Pergunta: Cristo acompanha as mudanças que nós vivemos?
Cristo bem disse no Apocalipse que ele voltaria como ele partiu. Cristo ascensionou com o seu corpo físico. Ele voltará tal como partiu, com o corpo de Glória, tal como ele disse, tal como escreveu São João. Cristo chegará depois, no momento último.

As etapas preparatórias, que vocês vivem desde há numerosos anos, são orquestradas antes de mais pelas dimensões arcangélicas mas também por aqueles que vocês chamaram, à vossa maneira, os vossos irmãos galácticos. Cristo está presente no homem que tem o coração puro. Cristo estará presente, de maneira exterior (ou exteriorizada, se preferirem) no momento propício onde o dia amanhece e não antes.

Pergunta: Os Evangelhos são fiáveis?
As alegorias são importantes. Não vejam nisso uma história real e concreta mas antes a história de uma época, não histórica no sentido literal.

O importante aí é a alegoria, exceto no Apocalipse chamado de são João, que descreve de maneira formal, extremamente precisa e detalhada, a vossa época.

Isso tem pouca importância nos processos que vocês têm a viver hoje, porque esses eventos são os mesmos, que vocês leram na Bíblia, no Corão, nas Escrituras Bíblicas ou em qualquer outro tipo de escritura.

Nós não temos mais perguntas, nós vos agradecemos.

Se vocês o permitirem, eu penso que é bom, agora, que nós procedamos à emissão da Luz dourada antes de dar o lugar àquela que se apresenta agora e que foi chamada Ma Ananda Moyi (ndr: canalização do mesmo dia, 19 Junho 2008).
Caros seres de Luz encarnados eu vos peço para descruzar os braços e as pernas, para abrir o vosso sorriso interior, para acolher a vibração da Luz dourada que vos vai ser transmitida agora.

Eu vos apresento todas as minhas homenagens para o vosso caminho, todos os meus agradecimentos para a vossa escuta. Eu terei no entanto necessidade, no momento da emissão, porque eu tenho que por em pé o canal, de um apoio lateral, à esquerda e à direita. Será suficiente, quando estes apoios estiverem aí, agarrar o braço do canal.

… Efusão de Energia …


Enviado por Rosa
Mensagem do Arcanjo JOPHIEL no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=210
19 de junho de 2008
(Publicado em junho de 2008)
Tradução para o português: Cristina Marques e António Teixeira

M.M - http://minhamestria.blogspot.com/
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/



Related Posts with Thumbnails