((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A DIFÍCIL ARTE DE SE ENXERGAR - BETH RODRIGUES

A dificil arte de se enxergar...

Olá Anthonio,

Conheço o Minha Mestria há um tempinho, mas não tinha o hábito de visitá-lo. De uns dias pra cá comecei a me interessar mais pelo blog, e vi quantas coisas maravilhosas estão sendo disponibilizadas em várias linguagens e níveis.

Obrigada por organizar este espaço tão necessário.

Outro dia li um de seus textos de porradaria no ego (rsrsrs muito bons!), que me lembrou umas coisas que escrevi há um tempo atrás (tentei encontrar o texto hoje, mas rodei o blog todo e não consegui). Daí resolvi também compartilhar um pouco da minha aventura. Desculpe se estiver muito longo, mas foi o que saiu no dia em que escrevi.

Beijos

Beth



Enxergar o mundo como ele realmente é, livre das ilusões impostas, tem sido a busca da maioria de nós.

Mas quando finalmente conseguimos alcançar esta visão, então nos damos conta de como as coisas são limitadas pelo medo que sentimos de enxergar a nós mesmos.

Aprendi que só há uma forma de nos livrar da ilusão criada pela Matrix 3D em que nos enfiamos: é olhando para o nosso interior, e deixando o resto pra lá.

E depois de muitas quedas e joelhos arranhados percebemos que finalmente saimos da ilusão e conquistamos nosso direito de sermos livres das amarras e armadilhas construídas para nos aprisionar e manter longe da divindade que sempre fomos.

E então, com a mente tranquila e o olhar livre dos filtros da ilusão, passamos a perceber o quanto nos engamos ao ceder aos conceitos e pré-conceitos impostos por nós mesmos. Sim, porque no final, apesar dos governos, da mídia, das religiões, dos falsos profetas e tudo mais, havia somente uma única pessoa que era capaz de nos manter prisioneiros: nós mesmos.

E aí vem a parte feliz e ao mesmo tempo difícil desta aventura. Nos sentimos felizes pela liberdade conquistada, e pasmos diante de impossibilidade de compartilhar isto com muitos daqueles a quem amamos.

Em meu caminho já fui atacada por muitos egos brilhantemente disfarçados de sabedoria e bom senso. Mas tudo bem, porque sei que no passado o meu próprio ego também atacou a muita gente usando os mesmos disfarces.

Mas agora que enxergo as coisas de um jeito diferente, percebo o quanto isto nos mantém longe de nosso verdadeiro objetivo, que é o de encontrar a nós mesmos e a nossa maior força, que é a divindade que existe em nosso interior.

E vejo as pessoas se atacando por aí, e me pegunto até quando isto continuará. De quanto tempo mais as pessoas precisarão para enxergar o que é tão evidente. Se algo te ofende, não foi você quem se ofendeu, foi o seu ego. Se alguém diz alguma coisa que te machuca, então quem se machucou foi o ego e não você. Se alguma situação te preocupa e tira do sério, é o seu ego quem está gritando que precisa manter o controle, não é você.

O que mais será necessário para que as pessoas percebam isto? O que mais precisa ser dito? O que ainda não foi mostrado? Acaso nos tornamos melhores quando atacamos alguém que JULGAMOS (sim, porque a visão do ataque nada mais é do que uma visão distorcida do ego) ter nos atacado? Acaso nos tornamos superiores quando em lugar de procurar compreender os motivos que levaram alguém a tomar determinada atitude, simplesmente analisamos aquela atiude a partir de nosso próprio ponto de vista limitado, e tiramos nossas conclusões sem nem ao menos fazer uma única pergunta que dê ao outro a possibilidade de se explicar?

Também percebi algo importante: por mais que leiam, recebam instruções dos Mestres e tenham todo o tipo de orientação necessária, alguns ainda insistem em transferir o seu poder pessoal para outra ou outras pessoas. Gente, o SEU poder é SEU. Isto é tão simples. Por que deixar que alguém me diga o que buscar, aceitar, ler, interpretar, como aplicar, como viver?

Existe uma coisa interessante que aprendi: normalmente as pessoas recebem as mensagens com o olhar da mente e não do coração. Eles lêem o que foi escrito na esperança de encontrar palavras que validem suas crenças pessoais, elas buscam por sincronicidades e "verdades" que validem ou não esta ou aquela mensagem. Mas gente, será tão difícil perceber que esta validação está sendo feita pela mente, pelo ego? Compreender uma canalização nada mais é do que sentir o que o coração diz quando temos acesso a uma mensagem. É consciência e não intelecto. É coração e não mente. Mas se a mente está se disfarçando de coração, e se a consciência interior está sendo esmagada pelo ego, então o que se pode compreender de uma mensagem?

E assim começam as comparações, os olhares desconfiados, as buscas mentais por explicações que justifiquem esta ou aquela mensagem, que a validem ou a tornem um engano. E se deixa passar várias mensagens de verdadeiro amor, enquanto se valoriza outras que não passam de frutos da mente de alguém que deseja nos manipular. Quanto desperdício de energia, quanto desperdício de aprendizado.

O que se deve buscar sempre é aquilo que as palavras ditas provocam em nossos corações. A frase "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei" tem significado quando dita por Sananda, mas se for dita por um mendigo na esquina perde o sentido? O que mais importa aqui? É entafulhar o nariz até o fundo na busca da origem da mensagem, ou perceber a importância dela em nossos corações?

Quando passamos a enxergar, em lugar de ver, passamos também a perceber as coisas que muitos pensam que estão ocultas. Faço um apelo a cada um de vocês que busque pela sua própria visão, pelo seu próprio poder, que não o entreguem nas mãos de mais ninguém.

Não chegamos muito longe nos iludindo, apenas ficamos dando voltas e voltas sem sair do lugar, e o incrível é que enquanto fazemos isto, nossa mente brilhante e egoicamente bem treinada vai mudando os cenários e nos fazendo acreditar que já caminhamos muito.

Aprendi que não sou melhor ou pior do que ninguém, aprendi que não sei mais ou menos do que ninguém. Mas também aprendi que se desejasse realmente sair da ilusão, então teria de olhar muito seriamente para o meu interior.

Posso dizer a vocês que fazer isto pode ser horrível, doloroso, sofrido, amargo e feio. Mas digo também que no final a recompensa que recebemos é indescritível. Você só se torna livre quando consegue se libertar de si mesmo.

Outra coisa que aprendi foi a diferença que há entre silenciar porque me senti contrariada e silenciar porque estou em paz. Na paz do silêncio que encontrei em mim, agora finalmente sinto-me pronta para falar.

Provavelmente alguns aceitarão o que eu escrevi. Provavelmente alguns não entenderão nada. Provavelmente alguns me criticarão e julgarão. Mas sabem o que é legal do meu ponto de vista? É que nada disto importa.

Eu fiz uma escolha, entre várias outras que tenho feito em minha vida, de experimentar o que os Mestres (e principalmente o meu Mestre Interior) dizem, ver o resultado e contar para as pessoas que amo. E é isto o que eu faço. E isto me deixa incrivelmente feliz.

Beth

http://minhamestria.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails