((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

sábado, 12 de fevereiro de 2011

O AMOR COMO MOEDA DE TROCA - PAULO RAFAEL

Amor com moeda de troca

Anthonio e queridos leitores do blog, aqui vos deixo uma simples compreensão sobre o sistema de troca actual que eu quis expressar, depois de ler esta mensagem de Saint Germain: "CAPTANDO O MOMENTO".

Paulo Rafael



O amor como moeda de troca

É incrível a quantidade de importância que as sociedades dão ao dinheiro. Tudo isso cairia se as pessoas deixassem de dar toda essa importância. Uma moeda. É apenas uma moeda. E vale por aquilo que ela realmente é. O valor monetário é um conceito enraizado nas mentes das pessoas.

As pessoas, na sua maioria, mais uma vez reagem e são influenciadas pela importância que elas próprias dão ao dinheiro. É visível que o conceito de dinheiro só tem utilidade para desiquilibrar a quantidade de posses que cada pessoa tem. Há sempre um que tem mais dinheiro, e há sempre um que tem menos dinheiro. Se todos tivessem a mesma quantidade de dinheiro, a existência de uma moeda de troca deixaria de fazer sentido.


A existência da moeda serve para alimentar os egos. Porque todos numa sociedade deveriam ter direito às mesmas condições, às mesmas regalias, à mesma qualidade de vida, mas com um sistema monetário isso não acontece.

Quando a troca se fizer através do amor, não será mais necessário haver uma moeda que dá mais poder a uns, e retira o poder aos outros. Também seria possível haver essa desordem que promove o egoísmo sem a existência da moeda, mas o sistema monetário foi uma forma de fazer parecer justo todo este desiquilíbrio que existe actualmente no mundo. Sem a existência da moeda, o desiquilíbrio pareceria ainda mais injusto do que já é, apesar de os resultados de cada uma das situações serem os mesmos.

A moeda veio para nos envolver numa ilusão, que nos fez permitir e tolerar, por mais tempo, a falta do amor incondicional como um elemento importante para o equilíbrio da sociedade.
Perguntem-se: Já estamos equilibrados? Podemos fazer por isso enquanto indivíduos que somos, mas será que o fazemos também enquanto sociedade que somos? Cada um de nós tem a responsabilidade de gerar um equilíbrio individual, e simultaneamente colectivo. Se aprendemos a desempenhar a mestria do corpo individual que temos, a meta seguinte será desempenhar a mestria no corpo colectivo em que participamos, e facilitar a nossa multiplicação (espalhando a luz através do amor) a todos os outros corpos individuais, tal como as células fazem :)

Meus amigos, não queiram contribuir com a multiplicação de células cancerígenas, corruptas da sua função original, nem na sociedade nem em cada um dos vossos corpos individuais.

Paulo Rafael

http://minhamestria.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails