((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

sábado, 12 de fevereiro de 2011

UM RELATO DE VIAGEM - NEILA

eum relato de viagem - neila



Anthonio,

Há muitos anos tentava conhecer a região das Missões (Reduções brasileiras, argentinas e paraguaias) e toda vez que eu tentava, muitas vezes, algo acontecia que me impedia de ir. Mas eu sabia que precisava ir... Eu sempre senti que era ali que minha alma se reconheceria... E quando as coisas falhavam eu pensava: "Não é hora ainda!".

De repente, tudo aconteceu de maneira pronta, o chamado era forte demais e não fiz nada para que isto ocorresse. Mas o meu coração estava com o povo sofrido da serra e era lá que eu devia estar, ajudando como voluntária. Fiquei dividida, mas me lembrei das mensagens de Mãe Maria, onde ela diz que devemos atender, quando este chamado ocorre. E senti uma urgência enorme! Então eu fui. E o inesperado aconteceu de uma forma completamente diferente:

Em excursões rodoviárias, normalmente, no 1º dia, o guia pede que façamos as apresentações, falando sobre nós mesmos.

Quando chegou a minha vez, falei a verdade; minha tristeza era evidente, estava insegura se devia estar ali ou se na serra, como voluntária. Contei ao grupo como eu ansiei por esta viagem, falei sobre o "Caminho das Missões", percurso espiritual percorrido por pessoas do mundo inteiro, como no "Caminho de Santiago" e como as coisas aconteceram como num tsunami; eu tinha que descobrir por que tudo caiu no meu colo, sem que eu nada fizesse.

Na parada técnica a seguir, uma passageira veio conversar comigo e a sua história era igual a minha. De volta ao ônibus, ela abandonou o seu lugar e veio conversar ao meu lado e, claro, o assunto caiu na transição planetária, quando ela mencionou a agressão do homem ao planeta. Foi a minha oportunidade, falei muitas coisas, falei sobre o MM e cada vez ela se interessava mais. Então, passei para ela a pasta que tinha levado com textos seus. A criatura devorou o material durante dias. Eu anotei o endereço do site e ela deve estar lendo coisas lá...o nome dela é Ciléa.

Foi uma viagem toda rodoviária, com pernoites em várias cidades. No 2º dia de viagem fomos para Treze Tílias em Santa Catarina; No ônibus, a viagem durou o dia inteiro, eu me surpreendia entoando as chaves metatrônicas e sinalizando os pontos das estrelas de Maria, inconscientemente, quando dava por mim, já estava fazendo e isto durou a viagem inteira. À noite, houve uma apresentação de música austríaca no hotel e eu queria assistir. Então, aconteceu a primeira dor de cabeça, do lado esquerdo, não era uma dor comum, alguma coisa muito violenta estava acontecendo (esclareço que tenho muita saúde!). Impossível ficar ali e fui cambaleando para o quarto.O sofrimento durou horas...

No dia seguinte fomos para São Miguel das Missões e era ali que algo me chamava...

Quando o hotel apareceu, longe, o motorista diminuiu a velocidade, porque até ele ficou abismado com a enormidade da construção, de um só pavimento, em estilo missioneiro, avarandado que protege do forte sol e dos temporais, com apenas gramado em torno, de enorme extensão.

Chegamos, o guia se dirigiu ao balcão para o nosso check-in e eu entrei. Sem saber porque, eu chorei; olhei em volta assustada com o tamanho do salão e olhei para cima: a altura do pé direito era de um prédio de 3 ou 4 andares. Meu coração disparou e tive dificuldade de respirar; aquilo não era apenas um hotel...Fui tomada por uma emoção muito forte!

Fui para o quarto, tomei um banho e desci fazendo perguntas aos gentilíssimos e inexperientes funcionários, já que o hotel está sempre vazio, segundo eles, o que é muito estranho. O formato da construção é o do "Ave-Maria" indígena (dos guaranis) e com certeza, podia ser visto do espaço, tal a grandiosidade da construção (de um só piso!). Senti a presença de seres altíssimos, mas não pude distingui-los. Acrescento que o Arcanjo Miguel, a quem a cidade homenageia é sentido a cada instante. E isto também acontece em Santo Ângelo, onde sua figura imponente está acima de todos no portal de entrada da cidade. Fantástico!

À noite, a segunda dor de cabeça. Não sei explicar a dor, mas algo arracava o meu cérebro, agora do lado direito. Novamente, nenhum analgésico fez efeito e, no dia seguinte, eu estava bem.

Tentamos assistir o espetáculo de som e luz, onde é contada a história daquele povo, que conseguiu construir a sociedade ideal, de outra dimensão, mesmo sendo submetidos à catequese, o que foi uma violência: tudo que era produzido, era compartilhado COM TODOS, não vendido; no máximo, havia um sistema de troca. Agricultura, oficinas de várias atividades, música, escultura, tudo tinha o seu produto compartilhado. E foram arrasados pela ganância de portugueses e espanhóis, no século XVIII. SEUS DESCENDENTES, HOJE, VIVEM NA MISÉRIA.

Quando o espetáculo chegava no episódio das guerras, a luz acabava e não conseguimos assistir ao final. Senti que não era hora de eu saber . Mas eu SEI que esta região tem uma função séria, específica e importante na espiritualidade e na transição planetária. Algo se passa ali...

Descobri que aquele não é, apenas, um hotel. Irmãos de Luz, ALTÍSSIMOS, estão ali, preparando alguma coisa ou NOS preparando a partir dali. Algo acontece ali e o meu reconhecimento de alma deixou de ter importância. EU SEI QUE, MESMO AQUI NA TERRA, NÃO ESTAMOS SÓS!!!

Por que o dono do hotel (esqueci o nome dele) construiu uma mensagem à Maria que pode ser vista do espaço e mantém um hotel enorme, que segundo os funcionários, está sempre vazio?

Muitos criticaram a imensa extensão de gramados, sem nenhuma árvore, em torno do hotel. Se o interesse do proprietário fosse o lucro, ali teria espaço para um maravilhoso resort. Então, meu coração disse: é para aterrissagem de naves.

Fomos, também, às reduções da Argentina (San Ignácio Mini) e do Paraguai (Trinidad). Em todas, uma emoção enorme, mas a mais conservada e que guarda preciosidades da arte dos guaranis (era um povo superior) é a do Paraguai.

As caminhadas foram cansativas, durantes horas, embaixo de um sol de 45 graus, pensei não aguentar.

Eu quis contar tudo isso, pois talvez você veja aí coisas que eu ainda não vi; e em muitos momentos, eu pensei em você e em como se sentiria.

Outro detalhe: em todos os lugares, na hora do pôr do sol, o céu fica avermelhado no horizonte. Em São Miguel das Missões não, o avermelhado é no centro do céu (DEPOIS DE 21 HORAS, como é comum na região). Tudo muito estranho...

Se leu até aqui, obrigada!

BEIJOS,

NEILA

http://minhamestria.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails