((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

domingo, 30 de outubro de 2011

COLETÂNEA: O PRESENTE DO SILÊNCIO - AUTRES DIMENSIONS

COLETÂNEA: O PRESENTE DO SILÊNCIO - AUTRES DIMENSIONS



"Muitos seres humanos pensam exprimir a própria intuição quando fazem escolhas, mesmo quando estas são energéticas. De fato, elas traduzem, de maneira Vibratória, mas limitada, apenas a adesão e o acordo deles com sua própria Verdade, procedente das próprias crenças e do próprio ego.

Aqui e Agora permite aceder a outro estado, a outra Consciência, onde o conhecimento vem do Coração, onde o conhecimento não vem do que era chamado o 3º olho, mas vem realmente da Coroa Radiante da cabeça, que fecundou a Coroa Radiante do Coração, reunificadas pelos pontos ER. Assim, instalar-se no Aqui e Agora é fazer calar o mental, é fazer calar as emoções. Assim, se manifestam-se em sua vida estados emocionais exacerbados, fora mesmo de seus estados Interiores, assim, mesmo se em sua vida manifestam-se preocupações mentais (essencialmente ligadas, por exemplo, nesse momento, aos medos ou às projeções de medo existentes em relação aos eventos que vive a Terra), vocês não podem penetrar o Coração, vocês não podem estar no Aqui e Agora. Progressivamente e à medida que vocês se centram no Aqui e Agora, pela Vibração, bem além do Fogo do ego, vocês poderão começar a viver estados Interiores de Paz, onde nenhuma preocupação mental ou emocional pode vir perturbar, mesmo, sua marcha nesse mundo, efetivamente fora de seus estados de alinhamento ou de meditação porque, para que serve viver estados Unificados, quando de suas meditações, se fora desses períodos vocês recaem sob o controle e a apropriação de seu próprio ego?"
Anael (01-04-2011)

"O mais importante é abrir-se à Luz.
A interferência e a atividade do mental é frequentemente um obstáculo, sobretudo quando esse mental foi forjado por uma busca, dita espiritual, exterior, compreendendo tanto elementos do simbólico como conhecimento dito esotérico.
O mais importante é a Luz. A Luz é Vibração, a Luz é Consciência ilimitada, instalada no instante presente. Se vocês chegassem a fazer calar, ainda que alguns segundos, inteiramente, o sentido de sua identidade na personalidade, a atividade mental e a atividade de suas emoções, instalando-se nesse silêncio, ainda que por alguns minutos, a Luz se derrama. Esta Verdade que eu enuncio será cada dia cada vez mais potente e cada vez mais invasiva, de algum modo".
Anael (12-03-2011)

Questão: como fazer calar o mental?
Pela Vibração.
A Vibração tem a capacidade de fazer calar o mental.
É portanto desejável, para fazer calar seu mental, polarizar sua Consciência e seu mental, ele mesmo, na Vibração. Quanto mais a Vibração se acelerar, mais sua Consciência elevar-se-á, e mais o peso das crenças e do mental tornar-se-á insignificante diante da potência e amplitude da Vibração. Você não pode fazer calar o mental com o mental, porque o mental é, por Essência, dual. Não se esqueça que o que você chama, em seu mundo, o mental e a emoção, é diretamente vindo da matriz e que os mundos Unificados não conhecem as emoções e não conhecem o que vocês chamam de o mental. Nós, certamente, sim, como seres que estiveram encarnados nesta Dimensão, nós sabemos e vivemos o que representa o peso do mental e das crenças, quaisquer que sejam, na manutenção da ilusão e da dualidade.
Um Amigo (16-06-2010)

"Assim como nós o dissemos, uns e outros, ainda que Um Amigo lhes dê o significado principal dos novos circuitos energéticos, o importante não é o significado, mas, eu repito, a Consciência que vocês colocarão naquela vivência.
Guardem em algum lugar em sua consciência esse princípio de Inteligência da Luz que estará trabalhando, de modo multiplicado em vocês.
Se vocês conseguem, no momento em que este afluxo de Luz se manifesta, fazer calar o mental (qualquer que seja a atividade que vocês escolham naquele momento, seja uma não atividade, uma meditação, uma pintura, uma atividade manual ou simplesmente uma sesta), é naqueles momentos que se realizará a integração da Luz, é naqueles momentos que vocês serão invadidos por esta forma de implosão ou de explosão da Luz, no interior da estrutura física".
Anael (29-03-2011)

Questão: como fazer para saber por quê sente-se cortado da Vibração?
Há duas palavras, já: como fazer, e saber.
Mas você não pode Ser e saber.
Você não pode fazer e Ser.
Portanto, é preciso parar a bicicleta.
Enquanto você se coloca a questão de como fazer ou saber, você não está no Ser e, estar no Ser é não saber e não fazer. É justamente parar de saber e parar de fazer, uma vez que a Luz está aí, nós o dissemos milhares de vezes.
Portanto, é o mental que os remete sem parar no como fazer.

E no «eu quero saber».
E no «eu quero compreender».
Mas a Vibração, ela é tudo, exceto isso.
Se você conseguisse fazer calar o «eu quero saber» ou «como fazer», você viveria instantaneamente seu Samadhi.
Portanto, o único obstáculo é você mesmo.
Mas é válido para todo o mundo, é claro, hein?
Isso se chama fazer o Silêncio, isso se chama meditar, isso se chama alinhar-se, isso se chama tudo o que vocês quiserem.
Mas não o fazer e não o saber é justamente parar de fazer e parar de saber.
Então, em outros termos, isso se junta à Humildade e à Simplicidade.
Enquanto vocês manifestam «eu quero compreender», «eu quero saber» ou «como fazer», não é o Ser quem fala, é a personalidade. E é obrigatório. É sempre a personalidade que quer compreender, compreender com o intelecto, compreender as Vibrações com um pêndulo, que quer compreender a astrologia, que quer compreender tudo, tudo, tudo, esperando tocar a Luz. Mas vocês não podem tocar a Luz assim. A única porta é o Coração. E apenas você é que pode abri-la, nós o dissemos também, sempre dissemos.
Aïvanhov (08-04-2011)

"Hoje, o Anjo Uriel, em sua Presença, presentes em nós mesmos, nós vamos revelar e permitir resolver a equação, fazendo-os passar do barulho ao silêncio, da agitação ao movimento de vida, fazendo-os passar da falsa profundez à verdadeira Unidade, da falsa precisão a AL".

"É tempo de elevar o silêncio.
Pois, no silêncio de suas palavras, pois no silêncio de seus olhos, então aparece a Verdade, toda nua, permitindo-lhes transcender e ultrapassar as últimas Ilusões, os últimos desejos, aqueles que os conduzem à densidade. Hoje, vamos rumo à nova Atração, aquela de AL, aquela da Unidade, a nova Visão, aquela de AL, aquela da Unidade. Vejam e percebam, no silêncio das palavras e no silêncio dos olhos, o que se revela, em Beleza e em Verdade: seu Espírito. O Espírito da Verdade, o Espírito da Eternidade. Canto novo, nascido do silêncio. Silêncio da Ilusão onde nenhum sinal pode vir alterar o Espírito em revelação".

"Instante único da História, levando-os e retirando-os da História, fazendo-os penetrar a Eternidade, lá onde não existe qualquer densidade conduzindo-os a comprimir o tempo, a comprimir o espaço, a fechá-los em um corpo de desejo, que nunca é satisfeito, onde jamais a sede é saciada pois a Água da Vida não é mais dada a vocês. Ele vem dar-lhes a Água da Vida, a Água da Verdade pois Ele é a Água do Céu, a Água do mistério, vindo pôr fim às águas matriciais, aquelas da falsidade, aquelas da falsa profundez.
Isto é Agora. Preparem-se para acolhê-lo, no silêncio.
Que seus olhos não vejam mais a Ilusão.
Que sua boca não professe mais qualquer palavra se esta não se tornar Verbo".

"Isto, por 3 vezes e 3 dias, permitindo-lhes, aqui como em outros lugares, no momento vindo, quando da revelação total do Anjo METATRON, em sua carne, voltar-se em direção ao Espírito, fazer calar a carne, a fim de transcendê-la, de aclará-la e de se tornar Espírito da carne. Três dias, sem palavras.
Três dias sem olhar, a fim de que, três vezes, a Porta Última seja passada, o instante da Verdade, o instante da Beleza, fazendo-os transcender todas as esferas do medo, da profundez falsificada, da precisão alterada, retornando à verdadeira Profundez da Unidade, à verdadeira Precisão de Alfa".

"Ousem.
Ousem Ser.
Ousem fazer silêncio de palavras, ousem fazer silêncio dos olhos a fim de acolher aquele que vem, como um ladrão na noite para aquele que não a aclarou".
"Ousem ir rumo ao que é o que vocês são, no desconhecido, na Beleza, na Glória da Existência. Desviem-se do que os acorrenta. Desviem-se de seus medos pois vocês não são o medo. Para isto, façam silêncio, silêncio de palavras, a fim de que o Verbo se faça carne em vocês. Silêncio dos olhos a fim de que a Visão autêntica deslumbre, da Luz, sua Presença. Filhos, Filhos do Um, a hora chegou de criar sua Verdade, além de toda criação fechada. Para isto, escutem, como eu lhes disse, o Canto da Unidade, o Canto de sua Presença".

"Escutem.
Escutem o Silêncio.
Saiam do barulho: aquele de suas emoções, aquele de seu mental.
Não busquem nada pois tudo está aí, totalmente.
Pois o instante é de Eternidade.
Bendita seja a Graça que se revela.
Filhos do UM, realizem o que vocês são".

"Espaço de silêncio.
Pois no silêncio, aquele de seus pensamentos, de suas palavras, de seus olhares e de suas emoções, chega e floresce a Unidade".
Uriel (06-07-2011)

"É apenas na rendição da consciência pessoal, da consciência "egotista" que pode se viver esse mecanismo de Passagem, de Basculamento, de Reversão e de Ressurreição. É preciso, dito em outros termos, fazer calar tudo o que pertence ao ego. E a vontade de viver está indiscutivelmente ligada ao ego que, sabendo muito bem o que ele faz, fecha-o em uma ilusão, fazendo-o crer que você vai ser livre.
Dito também de um outra maneira que eu já disse: enquanto vocês não estão Abandonados, vocês não podem viver a Luz. Enquanto vocês não são Crucificados, vocês não podem viver a Luz, na totalidade. Enquanto vocês não renunciaram, vocês não podem viver este Abandono".
Anael (11-08-2011)

"Hoje, a Clareza é superar a separação, é superar o isolamento da consciência.
É levando o olhar e a atenção sobre este ambiente, esta natureza, é reforçar, ao mesmo tempo, a capacidade da consciência para fundir com si-mesma como com todo o resto. É realmente um caminho para a Unidade. Ir para o ambiente, ir para a natureza, é também ir para Si, porque é superar a separação da consciência do ser humano encarnado com a consciência da natureza. É desenvolver a Clareza, o silêncio. É ir à profundidade de Si, porque o olhar amoroso e a atitude amorosa para com o ambiente os remetem a vocês mesmos, para mais Clareza, para mais transparência, para mais silêncio. Nos tempos que vocês vivem, do despertar e do vôo da Fênix, onde o barulho do mundo vai tornar-se incessante, não é necessário excluírem-se do mundo. Entrar no Interior de Si não é isolar-se.
Não é necessário ver a interiorização como um recesso, mas efetivamente como um desenvolvimento, um pouco como uma respiração".
Snow (06-03-2011)

"Eu sou RAM.
Eu venho falar, pelas palavras, pela Vibração e pelo Silêncio".

"O Fogo chama o Fogo.
Aí está o sentido do coletivo em sua individualidade, aí está o sentido do Amor e a inteligência do Amor, pela Vibração comum do Fogo do Espírito na célula, na Consciência e, sobretudo no Coração. Esse retorno ao Fogo do Espírito, esse novo Sopro, tendo feito apenas um exato retorno à Unidade. Não resistir, não se opor, aquiescer e integrar é, de algum modo, vital para deixar o Fogo do Espírito estabelecer-se sem entrave. Senão, o Fogo insinuar-se-á na personalidade, traduzindo então o fogo do ego, inflação do que é limitado, manifestando-se, então, não mais sob forma de Alegria, de Paz, Sat Chit Ananda, mas sob a forma de emoções as mais bárbaras e as mais impulsivas da humanidade".

"O Eterno construindo-se no efêmero, permitindo, justamente, por fim ao efêmero. Escutemos isso pela Vibração.
... Efusão Vibratória...
E ouçamos isso pelo Silêncio.
... Efusão Vibratória..."
Ram (10-04-2011)

"Nós somos Um.
Nós somos Um, no Coração.
Nós somos Um, na Fonte e na Vibração.
Nós somos Um, também, no silêncio.
Nós somos Um, por toda a parte e eternamente.
Nós somos Um, aqui também".
Uma Estrela (13-03-2011)

"A reversão é uma inversão total do sentido, da função, do movimento.
O que era contração e densidade tornar-se-á expansão e leveza.
O que era peso tornar-se-á ausência de peso.
O que era falso dará lugar ao verdadeiro.
Eu intervenho neste espaço preciso de reversão.
O que vocês vivem é preparação.
O que vocês vivem é preparativo.
Essa fase necessita silêncio e apaziguamento.
Silêncio e apaziguamento apenas podem ser alcançados através da ausência de ativação do que contribui para a ilusão.
Assim, a passagem da vibração da Luz vibrante, em meio às suas estruturas, em meio à sua Consciência, deve agora, neste espaço como em outros locais, passar pela Cruz, pelo centro. O que estava à esquerda deve ir para a direita.
O que estava embaixo deve ir para cima. O que era interior deve se tornar exterior, a fim de que não haja mais distância e separação entre o que estava separado, dividido. Isso necessita silêncio.

A reversão é Silêncio: silêncio de palavras, silêncio de pensamentos, silêncio de emoções, permitindo manter o Templo Interior do Coração pronto e limpo para deixar vir o Fogo ardente do Sol, para renascer como filho ardente do Sol, preparando a vinda, o retorno, de Ki-Ris-Ti.

O momento em que tudo para, a fim de que nasça o novo sopro: parada da Terra, parada da vida que não é fim, mas reversão. A vibração da Luz, nesta estrita Unidade, permite, se a acolhem em seu Templo, viver, através do Silêncio, a preparação da libertação.
A porta é o Coração.
A chave é você mesmo.

Essa porta deve se abrir, ela apenas abre na pacificação de vocês próprios com vocês mesmos, de vocês próprios com o mundo. Vocês devem integrar o fato de estar neste Mundo, mas de não ser deste Mundo. Isso também necessita aquiescer à intensidade da Vibração, realizável pelo Silêncio de palavras, pelo Silêncio de pensamentos e pelo Silêncio de emoções. Pacificação de vocês com vocês mesmos e de vocês com cada outro; isso apenas se realiza em meio à Vibração Infinita do Silêncio Interior e em nenhum outro lugar. Vocês estão na época em que o mundo, em sua inteireza, retém seu sopro porque um novo sopro vai soprar.
Há, nessa espera bem real, necessidade de se estabelecerem em sua Presença que é Silêncio de palavras, de emoções.
A visão exterior deve se tornar visão Interior.
A emoção deve secar para se tornar vivente em seu Coração.
O pensamento deve secar para que o Sopro do Espírito fale a vocês".
Uriel (26-06-2010)

"No silêncio, a palavra se torna Verbo, Sopro e Vibração.
Ser dentro do Ser é ser livre, não mais se esconder, se envolver de ilusões.
Ser e Vibrar no som do silêncio e da imensidão. Assim, em seu silêncio Interior, eu expressarei Verbo, Vibração, Verbo, Luz. Juntos, unidos e unificados na Unidade, no silêncio, o Verbo se desperta".

"Dentro do templo da luminescência do Ser, se escuta o silêncio, vazio e pleno, da Fonte infinita. Chamemos ao nascimento do novo, do Indizível e do Infinito, unidos em vocês, unidos em mim, unidos no universo. Espaço sem limite algum, onde se estende a infinita bondade, a infinita criação: a Fonte.
Acolhamos Vibração, silêncio".

"Ser, acolher a Fonte, se tornar Sol.
Som e silêncio, onde nada esconde nem vem separar.
Vibração.
Ser é Paz.
Ser: não mais parecer e não mais se esconder.
Revelar-se na beleza.
Paz.
De seu Coração a meu Coração: a Paz.
Unidos e Unificados.
Vibração.
Sopro.
Respiração que se torna abrasamento no Ilimitado.
Silêncio onde se revela a Verdade, Una.
Verdade Uma que é Consciência Ilimitada".
Um Amigo (25-06-2010)

"Contudo, esta aproximação do Cristo e de seu corpo de Existência necessita que o corpo de personalidade faça o silêncio. O silêncio apenas se encontra no alinhamento de vocês mesmos no Aqui e Agora. O Aqui e Agora é totalmente independente do escoamento linear do tempo e do espaço em sua Dimensão, ainda dissociada. O Aqui e Agora é, portanto, fora do espaço-tempo linear e fora de sua própria localização em seu espaço de personalidade: o silêncio (silêncio do passado, silêncio do futuro, silêncio do mental, silêncio das emoções), permitindo aproximar-se da Vibração da Unidade".
Sri Aurobindo (01-12-2010)

Questão: poderia desenvolver sobre o Silêncio no Ilimitado?

Dentro de todos os ensinamentos tradicionais, em todas as correntes e todos os povos, não pode haver acesso a outra manifestação da Consciência sem a passagem por esta etapa do Silêncio. Esse foi o objetivo da meditação, da oração, de algumas ginásticas chamadas de Yoga, em meu país como na China ou outros lugares. O Silêncio, fazer silêncio, consiste em, pouco a pouco, apagar o conjunto de sinais da projeção da Consciência no exterior de si.

Como o sabem, sua manifestação, nesse mundo, é apenas uma projeção.
Projeção modificada e alterada, tendo provocado, pela reprodução da experiência, a perenidade da referida experiência de projeção. Assim, portanto, é desejável, e indispensável, realizar a extinção dos sentidos, a extinção de todo sinal exterior, para descobrir o que está no Interior, que não permite aparecer ao olho da Consciência comum, enquanto ela funciona. Do mesmo modo que o sonho se manifesta de modo comum durante o sono, é o mesmo para a Consciência.
Assim, portanto, no sono, que se caracteriza por uma imobilidade do corpo, dos pensamentos, é aí que pode se manifestar outro aspecto de sua Consciência que, habitualmente, não está aparente.

No que se refere, também, ao Supramental, aquele que só pode aparecer, assim como expliquei em minha vida, no Yoga Integral, pela dissolução do mental.
Isso se chama meditação, atenção, oração, segundo o método que vocês empregam para ali chegar. Vocês não podem chegar a entender seu Coração, em todos os sentidos do termo, colocando-se na cabeça. Vocês não podem estar na escuta de seu ser Interior, qualquer que seja o nome que vocês lhe deem, sem fazer calar o que vem do exterior. Do mesmo modo que, quando fui São João, necessitei de uma reforma intensa, durante muito numerosos anos, para estar apto a recolher as palavras de Cristo. Esta preparação foi muito longa, várias dezenas de anos na penumbra, limitando o mais possível a Consciência exterior, comum.
É apenas nesse preço que pude estar na escuta, em meu ser Interior, das palavras de Cristo.

É muito difícil, para o ser humano, deixar se exprimir, no mesmo tempo e no mesmo espaço, a consciência comum e a Consciência Supramental.
É ou uma ou a outra. Do mesmo modo que vocês não podem conduzir um automóvel e olhar um jogo do que quer que seja.

É o mesmo para a Consciência.
O silêncio dos sentidos, dos sinais da consciência exterior, é uma preliminar indiscutível para o estabelecimento do Silêncio Interior e sua plenitude.
Esse Silêncio não é o Vazio.

Ele é Pleno.
Pleno da Vida e da pulsação da Vida.
A tal ponto que, antes de ali chegar, frequentemente é ouvido o que eu chamaria de canto da Vida, ou som da alma, ou som do Espírito.
E é no curso desse som da alma e do Espírito, que pode se estabelecer o Silêncio Interior. Na China, isso foi chamado de vacuidade, no Tao.
Mas qualquer que seja a tradição, qualquer que seja a civilização, as palavras são diferentes, mas o princípio e a realidade são as mesmas".

Questão: Silêncio Interior e Alegria Interior são da mesma natureza?
Inteiramente.
A Alegria Interior é um estado do Ser, independente de qualquer circunstância exterior e um estado de plenitude, de imobilidade e de movimento extremo, ao mesmo tempo.
Sri Aurobindo (27-06-2010)

"O Silêncio de que quero falar-lhes não é unicamente um Silêncio de palavras ou de sentidos, se bem que faz parte. O Silêncio de palavras e o Silêncio dos sentidos é uma prévia ao Silêncio, porque é nesse primeiro Silêncio que a consciência, não estando mais voltada numa atividade que eu qualificaria de exterior, no sentido da ilusão, pode, enfim, tentar se voltar, ou mais exatamente voltar novamente, para a Essência ou para o Ser. Todos os processos que visam a concorrer a esses pequenos silêncios vão permitir aproximar-se do Silêncio Interior, permitindo, a seu turno, um mecanismo de acesso à sua Eternidade, sua Existência. Não pode ali existir percepção e consciência do que vocês são, para além da ilusão, enquanto sua consciência está centrada na mencionada ilusão".

"Torna-se portanto urgente, efetivamente, fazer Silêncio no mundo exterior, fazer Silêncio em você mesmo, do que participa da ilusão, para poder desabrochar para o Eterno. E isso é possível apenas se os sinais pertencentes irremediavelmente ao mundo da ilusão se apaguem, de maneira temporária, permitindo-lhes, neste espaço restrito (que muitos chamaram de “meditação”, mas que, de fato, é apenas isso), tocar e Vibrar na Verdade".

"Esse Fogo do Amor apenas pode se revelar se há Silêncio, efetivamente.
Esse Silêncio deve ser, prioritariamente, estabelecido em vocês, a fim de se traduzir, progressivamente, no mundo ilusório. O silêncio é portanto um instante e um momento, observável na consciência, onde a interrupção dos sinais exteriores vai tornar possíveis os mecanismos Vibratórios no Coração e, agora, na Dupla Coroa da Cabeça, permitindo-lhes, por esses dois vieses, penetrar a Eternidade, em toda Lucidez e em toda Consciência e transfigurar a Verdade da Luz Vibral quando de seu retorno na ilusão".

"Ir até o final, é, certamente, agora e mais do que nunca, recusar o que pertence à ilusão, mesmo em suas meditações. Ir à Vibração mais pura e levar a sua Consciência sobre a Vibração, aquela percebida na Coroa Radiante do Coração ou ainda na dupla Coroa da Cabeça, para ali estabelecer-se. E quando você ali se estabelece, há Silêncio Interior, desta vez. Silêncio de tudo o que não é a Eternidade. Não há, por conseguinte, mais imagem, não há, por conseguinte, mais vozes. Há exatamente: Ser".
Sri Aurobindo (09-08-2010)

"No Silêncio do parecer, no Silêncio das palavras, no Silêncio das atrações, no Silêncio da Visão, aparece a Luz do Um, desvendando tudo ao redor de vocês, ao mesmo tempo que em vocês, o Éter de seu Sopro".

"Escutem.
Escutem o Som do Um.
Vejam, com a Visão penetrante, seu Silêncio e sua Majestade espalhando-se em fanfarra no interior de suas células, no interior de sua alma, desvendando o Espírito, desvendando a Verdade, expandindo ao infinito sua Presença".
"Ouçam o Som, ouçam as trombetas, ouçam a harpa, ouçam os instrumentos do Trono da Fonte vindo a vocês.
Abram.
Abram-se no Silêncio.
Abram-se na alegria.
Abram-se no movimento.
Presença".

"Instante único porque, no Um, tudo é único.
Porque, no Um, tudo é Canto.
Porque, no Um, tudo é Silêncio.
Canto e Silêncio, sem oposição.
Canto e Silêncio, inscrito no firmamento da Criação, das Criaturas e dos Criadores".
Uriel (12-04-2011)

"Naquele momento, não há que lutar contra o mental, há que se estabelecer na Vibração e na respiração, permitindo então à Consciência, calcando-se na percepção da Coroa Radiante e na percepção da respiração, penetrar, inteiramente, este espaço chamado o Samadhi. Esse Samadhi realiza-se a partir do momento em que há realmente ativação da Coroa Radiante do Coração.
Naquele momento, o ser vai penetrar cada vez mais os espaços de silêncio mental em que, pouco a pouco, a personalidade vai se dissolver no Si, no Âtman, como foi chamado pelas tradições orientais. O silêncio do mental não é uma condição prévia, é a consequência do estabelecimento na vibração da Coroa Radiante do Coração.

Isso é, hoje, grandemente facilitado, de um lado pela reversão do Triângulo dito Luciferiano e, de outro lado, pela liberação do núcleo intraterrestre da Terra, como a liberação do Sol, permitindo-lhes Vibrar diretamente em uma etapa além, que é o alinhamento e a ressonância do Triângulo Tri-Unitário. Assim, naquele momento, ainda que não haja o que vocês chamam o silêncio mental, o som chamado Nada se modifica nos ouvidos. Ele se torna muito mais amplo, a Vibração do Coração é substituída pela Coroa Radiante do Coração, dando um sentimento de vastidão e de imensidão no peito. Naquele momento, a Consciência pode, inteiramente, se imergir nesta respiração do chacra do Coração, mas que não é mais o chacra do Coração. É por isso que nós o chamamos Fogo do Coração".
Anael (05-11-2010)

"Silêncio de palavras, despertar da Vibração.
Silêncio permitindo nascimento do som, da Vibração.
Acolhamos, no silêncio e na Unidade: Presença a Si, Presença do Um, Presença da Fonte, Una e indestrutível.
Alegria.
Retorno e Reversão.
Vibração.
Unidade.
Silêncio de palavras.
Silêncio daquele que mente ao AL, o mental, a fim de que AL desvende a língua dos sons, na Presença".
Uriel (12-03-2011)

"Instante.
Instante de Silêncio no qual, enfim, é possível viver a Comunhão, aquela do Espírito Unificado, Vibrando em Uníssono ao Coração dos Universos, à Fonte.
Juntos, percorramos o tempo e o espaço do Silêncio. Momento em que nenhuma outra presença pode vir perturbar o tempo da serenidade, o tempo da Unidade.
Juntos e no silêncio, abramos bem a boca do Coração.
Pulsação.
Vibração.
Presença e Silêncio".
Uriel (20-06-2011)

"Bem amadas Sementes Estelares, após ter chegado, pela minha Presença, em meio à sua Presença, adicionarei algumas palavras e, sobretudo, de novas Luzes, pela Vibração, o Silêncio. Silêncio ao seu Mundo, Silêncio ao seu Mental, Silêncio às suas emoções, permite manifestar a Presença e viver, pela Graça da Fonte, o alinhamento em meio ao Templo, permitindo-lhes revelar e despertar sua Dimensão de Eternidade, ali onde tudo é Uni e não uni-forme, ali onde tudo é Um.
Pela vibração do Fogo do Amor, Fogo do Coração despertando em vocês a imensidão e o ilimitado, contato e emergência da Verdade.
Tudo o que é falso, em meio ao Silêncio, se extingue, quando se acende o Fogo da Verdade, da Eternidade, em vocês e por vocês".
Uriel (01-07-2010)

"Ir para onde Ele está, é ir para Si.
Pulsação e Vibração.
Presença e Unidade.
Cristo e Unidade.
Luz da Unidade.
Silêncio do som.
Silêncio de Sua Presença.
Apelo e ressonância.
Chame.
Chame-o.
Ele está aí.
Si(s) revelado.
Seja a revelação.
Unidade".
Uriel (30-04-2011)

Questão: poderia desenvolver sobre o silêncio mental?

Então, o silêncio mental consiste em ser como a superfície de um lago sem rugas, ou seja, que não há mais emoção, não há mais pensamento. Você é capaz, na meditação, parar todo pensamento e toda informação que chega à sua Consciência? O silêncio mental é isso. É a condição «sine qua non» para que se estabeleça o Supramental. Não há nada mais a dizer sobre o silêncio mental.
Aïvanhov (22-06-2010)

"Esses períodos de Silêncio Interior, onde nada mais existe além da Presença a si mesmo.
Isso é o Samadhi.
Isso se acompanha de espaços Vibratórios, de espaços de Luz e sobretudo de espaços de Unidade e de Unificação. Obviamente, isso passa por um aprendizado.
Este aprendizado necessita girar sua Consciência para este Estado, a fim de que, após um certo número de experiências, vocês possam ser capazes de viver no mesmo estado, mesmo nas ações, no Fogo do Coração, no Fogo do Amor, no Fogo da cabeça e agora no Fogo do sacrum. Neste espaço de unificação chamado Samadhi, o exterior não tem mais tomada sobre vocês. São vocês que agem sobre o exterior. Não pelo querer, mas simplesmente por sua Presença. Se sua Presença fosse suficientemente grande, vocês poderiam mudar a face do mundo instantaneamente. Vocês poderiam deslocar montanhas, vocês poderiam parar o curso do sol no céu. É isso que, hoje, vocês são chamados a realizar coletivamente".
Anael (16-04-2010)

"A qualidade da instalação e a qualidade de desenvolvimento da estrutura Supramental, chamada Corpo de Existência, podem fazer-se apenas se há silêncio mental.
De fato, a particularidade do mental é sempre procurar uma forma de apropriação da Luz e colocar esta Luz ao serviço, não do Coração, mas da personalidade. Até tempos próximos, esta Luz esteve disponível.
Alguns seres aceitaram, em Consciência, abandonar-se inteiramente a esta Luz, para que o Coração tomasse a ascendência sobre o mental e a personalidade.
Em certo sentido, um número importante de seres humanos que viveram este reencontro com a Luz desviou esta Luz em proveito da personalidade, impedindo assim o próprio estabelecimento do Supramental e do Corpo de Existência nas estruturas existentes. Isso se traduziu numa passagem delicada, vivida há muito pouco tempo, tendo conduzido alguns seres a afastarem-se da Luz, devido à personalidade não ter podido apagar-se ou ser transcendida pela Luz do Coração.

A Passagem que foi efetuada há pouco tempo, como o Arcanjo Uriel anunciou e desvendou, permite hoje, para os que cruzaram a etapa de transcendência da personalidade, poder estabelecer-se mais facilmente no Coração, porque os circuitos Vibratórios e, em especial, a abertura da boca, estabelecendo um tubo de Luz presente entre a boca e o Coração, permitiu construir uma ponte de Luz, de partículas Adamantinas, de Vibração Supramental, entre a boca e o Coração".
Sri Aurobindo (20-02-2011)

"O mundo que o leva, ele também, em sua totalidade, vai se libertar da Ilusão.
Esta infância necessita, como o nascimento de um Ser Humano, alguns espasmos de liberação. Veja aí simplesmente a liberação e o nascimento. Traga a esse processo sua alegria, aquela que possue nos espaços Interiores, porque você tem um dever, se o aceita, aquele de mostrar o caminho e a via pela sua Presença e pelo seu Ser, por sua Vibração, para aqueles que duvidam ainda.
Eles são numerosos. Nenhuma palavra poderá convencê-los.
Somente no silêncio de seu Coração e na Radiação de sua Presença na Unidade coMigo, você poderá permitir-lhes ressoar eles também, na liberdade que você encontrou.
Eu conto com Você, como você conta tu coMigo, para manifestar, nesse mundo, no tempo que é fixado, o que você é".
A Fonte (20-03-2010)

"A Consciência Unitária é Vibração, mas ela é também silêncio, silêncio de tudo o que fazia os constituintes da consciência comum: silêncio do mental, silêncio das crenças, silêncio das palavras, silêncio das afeições e silêncio, obviamente, dos desejos. A passagem de uma consciência à outra, além, é claro, do primeiro despertar, permite tomar consciência e realizar o que a maior parte dos ensinamentos orientais vulgarizou sob a palavra de Maya ou Ilusão.
Tornar-se Ilimitado, tornar-se Consciência Unitária, dá acesso à Verdade da Ilusão do mundo, que não é vivida como conceito, mas como Verdade estabelecida, permitindo dissolver literalmente tudo o que é procedente da dualidade, das experiências anteriores, das crenças, dos afetos, das percepções e das concepções".
Ram (04-12-2010)

"A porta de saída da fragmentação, a porta de saída do sofrimento, que é o companheiro da encarnação, a chave mesmo dessa superação, está localizada num espaço preciso de seu ser, chamado centro.
Nesse centro, reina o silêncio.
Aí está porque, a cada uma de minhas intervenções, eu insisti no silêncio, porque o silêncio exterior faz ressonância com o silêncio interior.
A vacuidade dos sentidos introduz e permite a manifestação da Essência.
Nesse espaço chamado centro encontra-se o bálsamo e a revelação de todas as discórdias, de todos os sofrimentos individuais e coletivos. A verdade, a solução, encontram-se nesse espaço. Esse espaço está fora do tempo, ele não se importa com seus jogos e com suas construções, ele não se importa com seus papéis, com seu sexo, com sua idade. Ali está alojada a felicidade, a Fonte da eternidade, sua eternidade. Aquilo que se pode descrever não é isso.
Aquilo que eu posso exprimir não é isso.
Aquilo que eu posso irradiar não é isso.
Aquilo está para além das palavras, para além das definições, para além da vibração, também para além do silêncio.
Aquilo passa de vibração, passa de imagens, passa de emoções, está além da manifestação, mas tudo está em vocês, isso também".

"Nós temos necessidade, todos (quando eu digo todos, trata-se de todas as formas de vida, em todas as dimensões), que um máximo de seres aproxime-se disso, ou mesmo viva isso. Como eu o dizia, isso está para além da vibração, para além mesmo do silêncio. Isso engloba, obviamente, o Amor e a Unidade.
Preparar-se para isso sem o querer consiste, simples e unicamente, em penetrar, primeiramente no silêncio, penetrar, em seguida, na vibração, até o momento em que esta desaparece, ela também, deixando lugar para o que é quase isso, ou seja, a vacuidade. Na vacuidade, tudo o que vocês emanaram na manifestação, tudo o que criam o que vocês são, não tem mais lugar de ser. Aproximar-se disso é o abandono supremo. Isso necessita ao mesmo tempo humildade e coragem, a mais forte. Eis isso no silêncio.
... Efusão de energia...
Ram (25-10-2008)

"Cabe a vocês definir, pela própria Vibração que vocês portam e assumem, o que será sua vida. Ela continuará de maneira cada vez mais violenta, a se estabelecer na ação/reação? Ou ela se estabelecerá de maneira cada vez mais forte e suave, na Ação de Graça? Há testemunhos da Ação de Graça, como há testemunhos da ação/reação. Os testemunhos da Ação de Graça são, antes de tudo, o silêncio das palavras, o silêncio das emoções, um estado de pacificação Interior, de leveza e de Alegria, enquanto que a ação/reação, ela também, terá seus próprios testemunhos: questionamento, sofrimento, excesso do mental, dificuldade para se estabelecer no silêncio, qualquer que seja. Essa é uma realidade vivida pelo corpo e por sua própria consciência fragmentada. Conforme a modificação de seu estado de humor que estiver aí, cada dia, vocês poderão, de maneira objetiva, saber se vocês vão para a ação/reação ou para a Ação de Graça".

Questão: qual é a coisa a fazer para aceder ao silêncio mental?
Mas justamente não há nada a fazer.
É justamente no não-fazer que aparece o silêncio mental.
Assim que há ação para um fazer, mesmo para aceder ao silêncio mental, é o mental que age. Não pode haver sedação do mental pela ação do próprio mental.
O Abandono à Luz, como eu defini, é uma rendição do mental.
Existe, nesse nível, algo que deve ser realizado em Consciência, mas que não pode ser resolvido ou aproximado mesmo pelo mental, porque ele vai sempre arrastá-los para fora deste estado que, para ele, significa sua morte.
A Alegria é um estado que eclode assim que vocês penetram o santuário do Coração.

Ela vai se reforçar, progressivamente e à medida do tempo e dos momentos de experiência que vocês vivem no Abandono à Luz e na rendição do mental.
O mental não pode aceitar viver a Alegria. Esta Alegria que se deve formalmente diferenciar da simples satisfação ou do simples prazer, qualquer que seja.
A Consciência Unificada ou a realização do Si pode apenas se realizar e viver quanto tudo o que é exterior a isso não exista mais. A melhor chave que eu posso lhes dar é o que eu chamei, agora há mais de um ano, Hic e Nunc, ou seja, Aqui e Agora. No Aqui e Agora não existe nada mais do que o Aqui e Agora.
O mental está em toda parte, exceto no Aqui e Agora.
Anael (02-12-2010)


Trechos extraídos das mensagens do site
http://www.autresdimensions.com
Traduzidas para o português por:
Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com e
Zulma Peixinho http://portaldosanjos.ning.com
Seleção e Edição: Minha Mestria

http://minhamestria.blogspot.com
http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails