((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

SOBRE A FÉ E A RUPTURA - ORIONIS - AUTRES DIMENSIONS

SOBRE A FÉ E A RUPTURA - ORIONIS - AUTRES DIMENSIONS



ORIONIS - 20-04-2007

Os saúdo queridos irmãos e irmãs em encarnação. Meu nome, para aqueles que me conhecem, é Orionis. Meu nome, para aqueles que não me conhecem, que vocês encontram na tradição, a grande tradição, é Melquizedeque, o Ancião do Dias. Sou o regente planetário. Dou-lhes minha saudação. Sejam benditos, queridos irmãos e irmãs em encarnação.

Venho a vocês não para responder a suas perguntas sobre o desenvolvimento de suas vidas em encarnação, senão, bem mais, para lhes contribuir um esclarecimento mais intenso, diria, sobre o desenvolvimento de suas estratégias, as escolhas que vão efetuar, mas, também, para alguns, as escolhas que já efetuaram.

Eu devo lhes elaborar um mapeamento preciso do plano de energia, sobre o plano vibratório, de sua radiação de seres em encarnação, muitíssimo distantes de sua origem e adiante, para alguns uma vez mais regressarem a sua radiação inicial, desnudos de certos véus postos em sua encarnação em tempos que eu qualificaria de imemoriais.

Como todos vocês aqui presentes sabem, toda esta constelação, e não seu planeta, se prepara aos grandes reencontros, os grandes desposamentos, diria que estão, em relação, com o passar a ser luminoso de todas as constelações e galáxias, que têm feito em momentos diversos da história dos universos, a eleição de afastar-se a fim de experimentar o efeito do afastamento da radiação da Fonte. Mas estas peregrinações, que têm afastado estes sistemas de sua Fonte, devem um dia fazer o caminho em sentido inverso.

É isto o que chega hoje ao conjunto de seu sistema solar e ao conjunto das radiações da constelação que devem efetuar um salto, salto evolutivo, salto transmutador, salto de vida, com o fim de terminar com o afastamento da radiação central.

A particularidade disto é que, a título coletivo, os seres humanos encarnados, no mundo de superfície deste planeta, devem fazer também um salto, em um sentido ou em outro. O que significa que o estado de equilíbrio relativo, no qual tem funcionado durante uma série de milênios, está irremediavelmente em curso de se encerrar. Isso tem por consequência imediata a privação ao conjunto da humanidade encarnada sobre este mundo de superfície dos sinais que lhes pertenciam há muito tempo.

Assim, numerosas informações que lhes têm sido transmitidas pelas múltiplas canalizações, têm descrito um período particular que deve permitir este salto evolutivo de realinhamento com a radiação central, como isso se produz raramente na sua escala de tempo, tenham em conta que o ponto mais importante desta passagem, posto que se trata de uma passagem, recorre necessária e obrigatoriamente a perda de todos os sinais existentes que têm sido os seus em vossos modos de funcionamento, vossos modos de vida, vossos modos de reações desde estes tempos imemoriais.

Existe, então, um fenômeno para um momento dado, que poderia chamar de ruptura, que vai, pois, distinguir dois tempos, que são antes e depois. É indispensável, quaisquer que sejam as primícias que alguns de vocês possam sentir neste mundo de superfície, que acolham a possibilidade desta ruptura.

Considerem que este fenômeno de ruptura não tem absolutamente nada a ver com este processo que chamam a morte. É importante assimilar e talvez tentar entender que o estado vibratório de vossas estruturas, assim como o que chamam materiais e sutis, devem viver um processo de ruptura. Agora, bem, a propriedade da ruptura é a indução ao fenômeno de resistência, de retração, com relação ao processo de ruptura.

Muitas mensagens recebidas fizeram enfatizar, agora desde há muito tempo, no conceito de controle, o conceito de algo novo. Isso é real, mas corresponde uma vez mais a palavras que somente alcançam muito pouco a dar conta deste fenômeno de ruptura. Agora, bem, o desenvolvimento do processo de ruptura deve deixar o menor lugar possível neste fenômeno de retração.

O exemplo de ruptura de que lhes falo, que agora, mais uma vez, nada tem a ver com o processo de morte, já que a morte envolve uma interrupção da consciência desta dimensão na qual estão. Ou, a ruptura vinculada a elevação, em absoluto implicará o desaparecimento de uma série de fenômenos vinculados a sua encarnação, mas em nenhum caso a perda total da consciência desta terceira dimensão, que para tanto não existirá mais para vocês.

Em outras palavras, haverá uma continuidade memorial disso que vocês são, obviamente diminuídos, para um certo componente de sua persona que é seu envelope astral. Ou precisamente, a retração que pode existir durante este momento é somente o fato deste envelope astral. O que significa que aqueles que deixarão lugar ao processo de retração, e ao não abandono da trama astral de seu componente, se oporão de maneira brutal ao processo de ruptura.

Podem tentar meditar durante longo tempo, tratar de orar por longo tempo, para evitar este processo de retração, ainda assim sem nenhum êxito. Estou desolado de recorrer a um conceito que lhes parecerá caduco, mas a única maneira de fazer frente a esta retração não é a vontade, ainda menos o conhecimento que lhes dou do processo, senão, bem mais, algo que existiu de toda a eternidade que se chama a fé.

Digo bem, a fé, não disse a crença, não disse o amor. O mecanismo fundamental que lhes permitirá, se tal é seu desejo, deixar morrer este componente astral é o mecanismo da fé. É esta convicção inquebrável, nisso que são, que lhes permitirá enfraquecer os obstáculos, sem sofrimentos, o fenômeno da ruptura, chegada a hora.

Disporão, obviamente, para isso, de certas ajudas. Cada ser humano, em encarnação neste momento será ajudado de maneira individual, mas nós não podemos infundir a fé se ela não está presente. A fé será, portanto, sua garantia da possibilidade de elevar-se mais além das condições habituais determinadas por este corpo astral correspondente a esta terceira dimensão. Não poderão penetrar no "depois" conservando o "antes". Este "depois" está de fato desprovido totalmente disto que tem feito suas lógicas de vida desde tempo imemorial.

Os modos de funcionamento neste "depois" não poderão ser sobreponíveis, de nenhuma maneira, com o que tem experimentado, vivido em numerosas ocasiões. Uma série de processos energéticos são possíveis para desenvolver esta famosa fé, esta íntima convicção de sua Fonte. Vocês estão perfeitamente bem situados neste lugar para experimentar este despertar da fé ou reforçamento da fé. É indispensável clarificar o melhor possível a posição de seu corpo astral, ou se preferem, em termos mais compreensíveis para vocês, o corpo das emoções, o que tem regido suas vidas desde tempo imemorial.

O tempo das emoções não é somente o que tem sido responsável dos seus sofrimentos, de seus apegos, senão, é também, o que tem conduzido seus desejos, suas aspirações, incluso espirituais, o que lhes têm feito buscar uma companheira ou um companheiro, que lhes é feito apegar-se a sua descendência ou a sua ascendência.

Convém, de agora em diante, tentar o mais possível de não serem motivados por esse corpo de emoções senão bem mais pela fé, já que, chegado o momento da ruptura, não lhes permitirá, ainda que tenham feito a eleição da subida, levar com vocês este corpo de emoções. O que significa é que aceitem ser conduzidos unicamente pela fé e não mais pelo desejo. Insisto de maneira fundamental sobre este ponto: não pode haver elevação com emoções.

É bem evidente, que temos necessidade de um máximo de almas em encarnação, que sejam capazes de viver esta elevação com o corpo físico, se tal é a eleição da sua alma. Já que o corpo físico, no que conhecem, apresentará um fenômeno de ruptura, senão um fenômeno de transmutação que conduzirá a modificações biológicas intensas. Essas modificações biológicas intensas não devem fazer-lhes perder de vista o que será indispensável para levar a cabo a missão de aparição deste novo mundo.

A radiação deste novo corpo não tem nenhuma medida com o que tem conhecido. Esse corpo físico está preparado. O obstáculo vem do fato que suas emoções, seu corpo de emoções, estão profundamente afetados e em relação com seu corpo físico.

Compreendam, pois, que no fenômeno de ruptura, incluindo, se a eleição da alma é a eleição da subida, o risco maior (que não é um, para vocês é um risco, não para nós) é que o número de almas, tendo feito a eleição da subida, não podem ascender com o corpo físico; o que seria problemático, uma vez mais, não para vocês, senão para o plano de resemeadura.

Prescrevo-os, portanto, por minha vibração, minha radiação e minhas palavras a desenvolver quanto antes, de maneira adequada, vossa fé nisso que são, a única maneira possível, para vocês, de superar a fase do corpo de emoções. Insisto de maneira fundamental sobre este ponto. Muitos dos ensinamentos que serão divulgados na superfície deste planeta, sobre todos os continentes e por todos os médiuns, insistirão profundamente nestes elementos.

Retenham bem que não haverá desaparecimento real da entidade biológica e de suas memórias, como no caso da passagem da morte, que o conjunto de quem são, exceto o corpo de emoções, deve subir dentro deste novo estado. O momento preciso da ruptura não é algo que seja um momento estendido. É um momento que qualificaria de extremamente breve em sua escala de tempo.

Convém, portanto, assimilar perfeitamente as palavras que lhes estou transmitindo, quanto a este processo inevitável. Haverá, obviamente, vocês o têm compreendido, uma muito grande facilidade para realizar isso, nas crianças, nos jovens, visto que o corpo astral, não estando fechado, cristalizado, se o preferem, no corpo físico, antes dos quatorze anos. O que não quer dizer que a medida que avancem em idade haverá dificuldade maior para transladar este corpo de emoções.

Uma vez mais, tudo se baseia na fé. Quando saberão que estão na fé? Quando vivem um processo particular, as vezes desagradável no momento, de se sentir presente neste mundo, presente em sua vida, mas sem emoções.

Creiam bem, que durante a efusão das energias consideráveis que lhes serão vertidas durante o mês de maio, muitos de vocês, na superfície deste planeta, experimentarão isso. Alguns o aceitarão, alguns se rebelarão, alguns mais, pretenderão regenerar emoções como nos velhos tempos.

De sua conduta, dêem-se conta desse processo, de sua capacidade para manter sua retidão na fé, sem emoções, se resultará seu processo de subida e a facilidade com a qual viverá esta ruptura e a capacidade que terão de levar seu corpo.

Este processo deve produzir-se em um tempo muito curto de seu espaço de vida terrestre. O que lhes digo agora, retornará a entrar em um processo por vocês qualificado de "sincronicidade". Isso que ouvem hoje, lhes será repetido de outras maneiras, que isso seja em sonhos, que isso seja em suas leituras ou seus encontros. Devem permanecer despertos.

Nisso, as primícias da afluência de radiação de energia do mês de maio se produzirá durante suas noites. Muitos contatos, que qualificaria de incomuns ou inéditos, se produzirão. Não será já tempo de preocupar-se pelo lado luminoso ou sombrio do que se manifestará, já que somente se autoriza avançar o lado luminoso a manifestar-se desta forma. Os inimigos bem mais importantes e, em consequência mais ressentidos, que correriam o risco de manifestar-se, não estarão em suas noites, senão, bem mais, em seus dias, de maneira muito direta, por alguns de seus irmãos que rejeitarão este movimento.

Creiam que este processo é único, que em todo seu ser o considere como tal. Se aproximam momentos inéditos, momentos de radiação extrema onde, o repito, os únicos obstáculos são aqueles vinculados ao seu sistema de vida desde tempo imemorial. Nisso se situa o risco principal. Não exite agora nenhum risco, nem para vocês, nem para nós, para aqueles que decidirão passar nas portas da morte ou de descansar no corpo de emoções. Essa eleição e esta liberdade formam parte do que se consideram como alma livre e infinita.

Compreendam, pois, que sobre a totalidade do que se constitui (corpo/alma/espírito), somente uma pequena parte, chamada corpo de emoções, pode desenhar problemas neste processo. Assim, queridos irmãos e irmãs em encarnação, eis algumas frases que queria anunciar-lhes.

Fico uns momentos à sua disposição, não tanto por razões pessoais, senão relativas, somente, a este processo de ruptura que acabo de lhes falar.

Pergunta: Além da fé, existe outro meio de clarificar o corpo astral?
Não serve de nada, e é agora demasiado tarde, sobretudo em seu relógio, para poder trabalhar direta e em realidade sobre este corpo de emoções. Parece-me ter sido bastante claro enquanto a única esperança possível representada pela fé. Todo trabalho que quereria reduzir o corpo emocional, não lhe permitirá absolutamente ser abandonado.

Pergunta: Falo de um risco vinculado à resemeadura senão existirem suficientes seres elevados sem seu corpo. Existe algum outro risco?
Somente este. É que nós não alcançaríamos o limite para permitir uma resemeadura rápida e, em consequência, eu diria, um começo rápido sobre novas bases. A resemeadura corresponde a um processo dinâmico de um novo ciclo de vida, em um novo lugar de vida, ele também, passando por um processo de ruptura. Esta resemeadura requer, naturalmente, a presença de memórias indispensáveis para uma determinada forma de continuidade, não tanto, por exemplo, de sua saúde, que estará sem falhas, senão, bem mais, em relação a um certo conhecimento, diríamos, algumas experiências.

Pergunta: Se o processo de ruptura está em curso, apesar de tudo, tem riscos de não ter êxito?
Absolutamente nenhuma, e em qualquer caso, lhes informarão pessoalmente alguns momentos antes de que isso se produza.

Pergunta: É Maria que nos avisará?
Para a maioria dos seres que creem nela, evidentemente.

Pergunta: Nos avisará você mesmo?
Não creio que muitos seres humanos creiam em mim.

Pergunta: Quem mais pode nos prevenir?

Muitos seres, como por exemplo, Miguel. Para os muçulmanos, se tratará do Arcanjo Gabriel.

Pergunta: Se pode difundir esta mensagem?

Da maneira mais ampla possível, na condição que isso não se deforme ou se transforme, as palavras que empreguei foram, diria, perfeitamente escolhidas.

Pergunta: Têm recomendações para cada um de nós?
Não pode haver recomendações pessoais sobre um processo coletivo. Isso não faria mais que sobrecarregar seu corpo de emoções.

Nós não temos mais perguntas, agradecemos.

Queridos irmãos e irmãs, lhes agradeço humildimente e fraternalmente terem acolhido estas palavras. Estas palavras são, eu o espero, como um salvoconduto, como uma luz nisso que vem até vocês e que está anunciando desde tanto tempo. Recebam minhas saudações fraternas. Recebam minha radiação de amor.


Fonte: Original en francês.
http://www.autresdimensions.com
Canalizado: Jean Luc Ayoun
Transcripción: Véronique Loriot
Traducción: Odilia Rivera
http://mensajes-del-espiritu.blogspot.comhttp://mensajes-del-espiritu-2010.blogspot.com
Tradução para o português: Simone (http://morgenstern2000.blogspot.com)

http://minhamestria.blogspot.com

http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails