((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

CAMINHADA DE CORAÇÃO ABERTO - MAGALI PAZ

Caminhada de coração aberto



Anthonio e demais irmãos de caminhada,

Primeiramente vou tentar fazer um resumo rápido de minha caminhada por este Planeta para poder chegar no ponto que desejo abordar melhor. Vou tentar ser resumida para não ser cansativa a leitura.

Em boa parte da minha vida, em meus 55 anos aqui presente, andei à procura de algo que me completasse...me sentia alegre e feliz mas ao mesmo tempo sentia falta de algo que não sabia ou não entendia o que era.

Cursei dos 5 aos 16 anos em colégio de freiras no Grajaú, Rio de Janeiro. Obtive uma educação moral firme, respeitável e louvável por parte do Colégio e principalmente de meus pais. Gostava muito de estudar lá. Aprendi muito com elas. O único senão do Colégio era que a Madre Superiora, quando estava com meus 14 anos, tentou me convencer a entrar para o Convento...mal sabia ela por onde eu andaria depois (rsrsrs...).

Fiz faculdade de Adm. de Empresas, passei no concurso do BB e em 1980 fui para Itabuna (BA).

Lá conheci e frequentei o Candomblé. Aí comecei minha procura por algo que me completasse, já que a religião católica não conseguiu me preencher pois muitas das historinhas que contavam da Bíblia não me convenciam. Também não foi o caminho. Voltei transferida para o Rio em 1982 e me afastei um pouco da procura. Me sentia uma rebelde, justiceira sem causa, me envolvia com problemas alheios, sem que me pedissem, com intuito de ajudar...doce ilusão.

Em 1987 voltei a insatisfação e passei a frequentar um centro espírita de Umbanda. Me identifiquei mais do que o Candomblé, principalmente por conta das músicas que adorava cantar, mas também não conseguia preencher o que me faltava. No final de 1988, com 33 anos sofri um acidente de carro, dirigindo sozinha na estrada que me levaria para almoçar com minha mãe no dia de seu aniversário, presentão hem? Fiquei na UTI por 2 dias, depois no quarto por mais 25 dias por conta de uma fratura na coluna vertebral (T12). Fiquei praticamente 2 anos de molho com 2 cirurgias na coluna e outras mais por conta do acidente. Apesar da imobilização e das dores, foi um momento que me surgiu para grandes reflexões.

Sempre gostei de ser independente, não gostava de incomodar ninguém mas isto não foi possível neste momento e tive que abrir mão de meu orgulho e aceitar ajuda de terceiros e principalmente de minha mãe que já não era tão jovem. Tive que trabalhar outros pontos em minha personalidade e aprender a ser mais paciente.

Gratidão sempre tive, pois sem ela, a fase que vinha passando seria mais dolorosa ainda. Gratidão por tudo, por existir, pelas pessoas maravilhosas que passaram em meu caminho, pela nova chance que estava tendo de melhoria interna. Pelo AMOR demonstrado por todas as pessoas que faziam parte de minha vida.

Quando voltei a trabalhar em 1991, ainda de colete, conheci uma pessoa que cruzou em minha vida, que veio iluminar o meu viver. Eu a chamo de Vida(não é seu nome). Trabalhava em uma agência de outro Banco, do outro lado da rua, onde ficava minha agência. A sintonia foi tamanha que começamos a nos ver todos os dias e até hoje estamos juntas, são 20 anos de cumplicidade de alma, de amor.

Vejam se não estava escrito nas estrelas: trabalhávamos na mesma rua, éramos bancárias, trabalhávamos no caixa, eu trabalhava no número 278 e ela no número 287, tínhamos o mesmo apelido "the flash" dado pelos clientes (sem ainda nos conhecermos) e o principal, quando nos encontrávamos no dia seguinte, situação engraçada, parecíamos um par de jarros, pois vestíamos as mesmas cores, como se fosse uniforme. Isto se dava quando não estávamos juntas. Hoje em dia as vezes acontece quando nos vestimos sem saber o que a outra vai vestir.

Continuei a minha procura frequentando agora um centro kardecista na Tijuca, na rua para onde tínhamos nos mudado em 1995. Frequentei algum tempo, gostando mas ainda não sendo o que ajudaria em completar o que faltava. Não tenho nada contra a igreja evangélica em geral mas foi a única que não me atraiu. Isto não quer dizer que não possa ajudar outras pessoas a se encontrarem, não era meu caminho.

Em 1999 (me aposentei em 2000), estava afastada pelo INSS por conta da L.E.R. desde 1995 (excesso de trabalho, lembra do the flash?). Um dia, Vida (ela também se aposentou com a mesma doença em 2001) voltava para casa e passou a pé na frente de uma outra casa em uma rua transversal a nossa. De repente ela escuta uma voz "Ei Você!!!". Ela parou e olhou, era uma loja de produtos esotéricos onde tinha uma máquina na frente da loja com uma cigana chamando as pessoas para ler seu futuro. Era a garagem de uma casa de 2 andares que foi transformada nesta loja. Ela entrou, conheceu a dona da loja, gostou do ambiente, comprou alguns cristais, conversou com a dona e soube que na casa havia um curso chamado AME que tinha aula de Controle da Mente e de Cosmogonia. Ela me falou dos cursos mas não tínhamos dinheiro para cursá-los. Era barato, R$50,00 por mês o de controle da mente e R$10,00 por mês o de Cosmogonia. Mas para nós duas não daria. Estávamos em situação de contenção de despesas. Ela passou a frequentar mais a loja e soube que um domingo por mês haveria atendimento gratuito de pessoas jogando tarot, jogando cartas dos anjos, radiestesia, desenho esotérico e leitura através dos cristais pela dona do curso. Fomos até lá e a Vida foi conversar com a dona quando ela desceu até a loja esotérica para ver se estava tudo sob controle. Conversaram e Lidia disse que eu gostaria muito de fazer os cursos mas que não poderíamos.

Na mesma hora a dona do curso disse que tanto eu como ela poderíamos fazer os dois cursos gratuitamente. Quando Lidia veio me informar a decisão da professora e dona do curso, comecei a chorar na mesma hora. É como se abrisse algo dentro de mim e passei a sentir um alívio muito grande em meu coração. Era o momento pelo qual começaria a me encontrar. Ela sempre deixou claro que não era guru de ninguém e que cada um iria trilhar seu caminho, sozinho aparentemente, mas com nosso Mestre interno sempre presente.

O curso de Cosmogonia era o estudo sobre o Livro de Urantia. Passei a conhece-lo na primeira aula em 09/09/99 (algo significativo não?). Desde então uso o livro para consultá-lo sempre. Foi ele que abriu meu caminho. Minha sintonia com a professora foi no ato. Anos depois descobri que ela foi minha irmã em pelo menos 3 outras vidas. Era este contato que precisava para me sentir mais completa e aí sim comecei minha escalada para a conexão interna com meu Ser.

Não dá para não agradecer todos os dias de minha vida a chance que me deram para crescer, para evoluir interiormente e buscar a Mestria. GRATIDÃO sempre. Mesmo pelos tropeços pois são eles que nos fazem crescer mais rapidamente.

Sinais de mudança começaram a aparecer. Passei a meditar diariamente, a princípio por meia hora, depois passei a uma hora e hoje faço diariamente 2 horas de recolhimento. Passei a ter alguns de meus problemas físicos solucionados através de cirurgias espirituais. Passei a dar mais ouvido a minha intuição. Ela já existia mas não sabia o que representava. Há anos que não sei o que é ir ao médico. A não ser para pedir exame de sangue completo, uma vez por ano.

Existem mais coisas mas um dia conto, se tiverem a paciência de ler ou escutar. Vou agora relatar o que fez abrir meu coração hoje. Nestes anos de busca interior, busca de melhoria, busca de conexão com Ele, tive vários exemplos de que estamos conectados 24h por dia, em todos os dias de nossas vidas. Tudo que acontece e aparece em nossa caminhada vem para limpar ou acrescentar algo de positivo em nosso ser. Passei a observar mais meus pensamentos, passei a prestar mais atenção em minhas reações. Observei, com o passar do tempo que as melhorias externas estavam acontecendo porque havia um trabalho interno sendo feito. Este trabalho me era mostrado quando necessário. Mudei no dia a dia, coisas simples...passei a gostar de comer determinadas coisas que sempre dizia não gostar. Passei a enxergar situações com outros olhos. Passei a ser mais tolerante comigo mesma. Passei a me perdoar principalmente. Passei a silenciar a mente. Passei a me colocar no lugar da outra pessoa para entender suas ações ou reações. Passei a não emitir julgamento de valores, principalmente sobre situações que não me diziam respeito. Passei a ajudar dando ouvido a minha intuição e não a comentários de terceiros.

Traços negativos em minha energia vem sendo eliminados na medida que minha vontade de mudar realmente se faz presente. Quando me boicotava, desviando minha atenção dos sinais, estes traços demoravam a ser eliminados. Semana passada, vi uma montanha de pedras quebradas, também de paralelepípedos sobrepostos em desordem e uma pessoa totalmente vestida de preto em cima desta montanha. Pedi mentalmente a confirmação desta imagem e me mostraram a mesma montanha e dentro dela surgiu uma caixa retangular, que estava escondida. Continuei não entendendo. Neste momento estava me boicotando. Isto porque a pessoa que estava de preto deitada acima da pedra era de cabelos brancos como eu. Sabia que era eu mas não queria aceitar. Não sei o que não queria aceitar mas cheguei a conclusão que estava realmente me boicotando.

Resolvi novamente perguntar o que significava aquilo e se era eu mesma que estava lá, deitada. Decidi que desta vez iria aceitar ser eu, não tinha porque temer. Pedi para me mostrar de forma diferente para melhor entendimento. Desta vez dormi e sonhei com a busca de objetos diversos. Achei um lápis, uma caneta, achei outros objetos e acabei achando o que me deu um estalo, um chaveiro. No ato pensei: é a chave !!! e acordei.

Achei uma chave que estava faltando. A chave na noite seguinte (de 7 para 8 ) abriu a caixa que estava enterrada na montanha de pedras. Ao despertar, me vi nas trevas. Não importa o que fiz, boa coisa não foi, em alguma vida passada, era um homem, sem camisa, mas sabia que era eu que estava em destaque, chegando com inúmeros seres a minha volta colocando a mão em mim, me seguindo, tentando me tocar. Todos com uma energia escura a sua volta com expressões de dor e tristeza. Senti seres vindo em minha direção, de minha energia, quando perceberam que estava olhando esta cena, tentando me tocar também. Não senti medo. Me bateu uma profunda tristeza por todos. Comecei a rezar, rezei 3 vezes a Oração de São Francisco com muito AMOR. Senti como se meu peito estivesse abrindo até as costas.

Hoje o AMOR toma conta de meu ser. Aprendi que mesmo cometendo o mais grave dos pecados, somos perdoados por nosso Ser Interno. Pelo Cristo que habita nosso ser. É nosso ego que não aceita o perdão do nosso Ser. É o ego que não ama incondicionalmente. É o ego que precisa ser controlado e isto só conseguiremos nos Entregando à Luz que nos traz toda a mudança que precisamos para sairmos desta dualidade. É nos PERDOANDO inicialmente para depois aprendermos a perdoar e seguir em frente na busca interior.

Somos TODOS FILHOS DA LUZ e viemos aqui para aprender a AMAR sem conhecer nossa origem. Um aprendizado duro e difícil mas perfeitamente POSSÍVEL.

Existe uma diversidade de caminhos, cada um deve achar o seu sem deixar que terceiros tentem mostrar o que fazer. O que pode ser bom para uns pode ser desagradável para outros, depende do nível de evolução de cada ser. Como ninguém sabe realmente como é o caminhar de nossos irmãos que procurem a sua VERDADE. Ela está em seu Interior e só diz respeito a você mesmo. É um caminho solitário e interno que só você pode trilhar e encontrar a sua chave.

Acabei me alongando mas espero sinceramente que minha experiência sirva para ajudar e que aceitem que mesmo por caminhos tortuosos, tendo VONTADE, se consegue chegar não na perfeição pois só o PAI É PERFEITO (que nossos egos acreditem nisto) mas na melhoria suficiente para sair deste jogo de dualidade, ilusão e prisão.

Fiquem na PAz & na Luz de vosso Ser Interno.

MPAz

http://minhamestria.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails