((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

sábado, 27 de agosto de 2011

APROPRIANDO-SE DA LUZ

APROPRIANDO-SE DA LUZ



Nota MM: Exceção aberta:

Olá Anthonio e Thais

Sei que o espaço reservado às nossas experiências pessoais está nos comentários, mas senti necessidade de compartilhar algo e por isso estou escrevendo.

Muitas mensagens falam de tentar apropriar-se da Luz, e falam também de alguns marcadores que nos mostram como estamos indo.

Mas o ego, esse menino teimoso e mestre em disfarces as vezes tenta nos impedir de perceber o óbvio. E corremos o risco de não perceber que estamos ficando viciados em Luz. Não no sentido de aceitá-la simplesmente, mas sim no sentido de vício mesmo, de querer sempre mais. E então, a Luz que queremos deixa de ser a Luz e passa a ser algo que criamos para nos sentir bem.

O ego pode se disfarçar de qualquer coisa que ele queira par tentar nos enganar, e quando pensamos que estamos fazendo tudo certo (bem dual mesmo), aí ele se disfarça de Ser que reencontrou a própria Luz.

Em minha experiência eu vivi isto. Comecei achando que não conseguiria porque despertei tarde e levei um tempão pra encaixar algumas peças. Mas logo que elas começaram a se encaixar, lá veio paz e a tranquilidade de quem simplesmente estava deixando que a Luz fizesse o seu trabalho. E por um tempo foi assim mesmo. Nada me abalava, nada me fazia duvidar da Luz e nada me levava para a reação ao que quer que fosse.

Mas este é um caminho longo, e podemos tropeçar quando menos esperamos. Sem perceber, eu fiquei viciada em vibrações, em pontos específicos que sentia (primeiro nos momentos de meditação, e depois em qualquer hora do dia). A cada sensação nova eu pensava "Legal, estou conseguindo". A cada novo som ouvido eu ficava maravilhada, não pela beleza do que acontecia, mas porque estava conseguindo.

E lá estavam as mensagens dizendo que devemos ter cuidado para não tentar nos apropriar da Luz, mas eu só prestava atenção aos marcadores, aos sintomas, às coisas que eram ditas e que confirmavam o que eu queria que fosse confirmado.

E fazia os protocolos não porque era um meio de me ajudar, mas porque era um meio de mostrar que eu poderia ir mais adiante. E ia. E ficava feliz com as minhas novas conquistas.

Mas a Luz é inteligente, e se eu estava me deixando enganar, Ela jamais se enganaria. Depois de um tempo, apesar de as vibrações terem continuado, e até aumentado, aquele estado de paz foi dando lugar a um estado de questionamento. Um questionamento interno, silencioso. E nem sabia o que estava questionando, mas senti em meu interior que alguma coisa estava insegura. Pensei que fosse medo do "fim do mundo", de cometas caindo na nossa cabeça, se qualquer coisa assim. Mas isso eu só pensei, porque minha mente incansável precisava encontrar um motivo para aquela insegurança.

Mas eu percebi que nada do que pensava me dava realmente uma resposta, e a insegurança só aumentava. Então resolvi fazer o que faço nessas horas, ou seja, nada. Deixei rolar, larguei de lado e pedi à Luz que me mostrasse a resposta.

E lá veio: eu estava com medo de mim. Em algum momento o ego percebeu que para eu seguir adiante ele terá de morrer, e para evitar isso, começou a se apropriar de tudo o que a Luz me trazia. Eu não tinha medo de nenhum fim, de nenhum cometa, de nada desse tipo. Eu tinha medo de não conseguir.

Vim para esse mundo fazer um trabalho, e fiquei com medo de não coneguir fazê-lo. Mas é o ego quem tem medo de não fazer tudo bonitinho, de não sair vitorioso, de não ser o 1º aluno da turma. É o ego quem diz que você tem que sentir os marcadores que as mensagens mostram ou não conseguirá ir adiante. É ele quem te faz vibrar quando encontra nas mensagens a confirmação para o que você vive, ao mesmo tempo em que tapa seus olhos para que você não entenda as partes que falam de tentativa de apropriação da Luz.

Eu me senti como um estudante que passa horas se preparando para o vestibular, estuda como um alucinado, vive de simulados e tudo o que faz é se preparar para aquela prova. E ele estuda tanto, e aprende tanto, e sabe tanto, mas não confia em si mesmo e fica ansioso esperando pelo dia da prova para poder mostrar a si mesmo que o esforço valeu a pena. Ele está tão cego com a prova que não consegue perceber que já se preparou o suficiente, que já estudou o suficiente e que agora é hora de relaxar e deixar a coisa fluir. Era assim que eu estava. Eu tinha medo de na hora em que o bicho pegar eu não estar preparada, e não percebia que já havia caminhado muito e que agora é hora de deixar a Luz fazer o trabalho Dela. Não que eu não tenha mais nada a fazer, falta muito, mas ficar me preocupando só me impedia de ir mais adiante.

Talvez muitos estejam também se sentindo assim. A expectativa da hora de entrar em ação nos cega para o fato de que já estamos em ação. Nosso trabalho não irá começar somente quando a coisa ficar complicada neste mundinho 3D. Nosso trabalho já começou e deve continuar sem cobranças, sem dúvidas. Se você se pergunta se está mesmo preparado, então é porque não está.

Abandonar à Luz é também um voto de confiança dado a si mesmo. Ou eu estou fazendo com verdade dentro de mim, ou estou fazendo para mostrar que sou capaz. E se há verdade no que faço, então porque não conseguiria chegar até o fim?

Mais uma armadilha do ego descoberta, e assim ele vai ficando cada vez mais exposto e mais fácil de contornar.

As sensações, as vibrações sentidas em cada ponto, os momentos de paz, alegria e unidade que podemos viver são reais, mas são também um sinal de que o ego está sendo aos poucos diminuído. E assim como nós percebemos estes sinais, o ego também percebe, e é claro que ele jamais deixaria de reagir na tentativa de se salvar. Então é preciso estar alerta. Nada que venha do exterior poderá nos abalar. Somente o que há em nosso próprio interior pode nos abalar. E já que temos a grande vantagem de saber disto, então vamos nos observar, dar o famoso passinho pro lado, e deixar a Luz fazer o trabalho Dela, sem cobranças, sem inseguranças e sem julgamentos.

Beijos
Beth

http://minhamestria.blogspot.com/
http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails